sexta-feira, 16 de maio de 2008

Treze

Minha filha,

Tão difícil quanto ser mãe é ser filha. Ainda mais a mais velha. Eu sei bem. De repente, só porque a gente nasceu antes, todo mundo acha que a gente tem que ser mais madura, mais responsável, mais focada, mais educada, mais equilibrada.

Quando a gente tem um irmão mais novo, fica pior ainda. Ainda mais quando ele é muito mais novo. Aí, os pais sempre dão a desculpa de que “ele é pequeno, a gente é grande; ele não sabe; a gente sabe...” e por aí vai. E quando a gente finalmente consegue as coisas, depois de lutar feito louca, vem o irmão mais novo e consegue a mesmíssima coisa um mês depois, na aba das nossas conquistas. É filha; não é fácil ser filha, nem é fácil ser grande.

Lembra de quando você foi fada da Bela Adormecida na peça da escolinha? E daquele Dia das Mães, em que penduraram um coração imenso no seu peito e você cantou só pra mim? E quando você voltou de viagem e foi correndo pro quarto, beijar todos os seus bichinhos? Eu lembro, filha. Lembro de quando você pisou no formigueiro, de quando a abelha picou sua boca e de quando o cachorro arranhou sua perna. E lembro, perfeitamente, da sua primeira competição de esgrima e de quando você achou que o Yago era fortão só porque ele foi à escola com a fantasia do Batman. Eu estava presente em todas essas ocasiões, filha, assim como vou estar presente hoje, na pizza com as suas amigas (“só que em outra mesa, né? Longe, né? Porque mãe na mesma mesa é o maior mico!”).

Aí, um dia desses, eu olhei pra você e descobri que você tinha virado mulher. A descoberta me encheu de orgulho e de saudade. De orgulho, porque me fez ver que a gente conseguiu, apesar de tudo, chegar até aqui sem maiores percalços e que você está se tornando uma mulherzinha maravilhosa. De saudade, porque sei que daqui pra frente, você vai se afastar cada vez mais de mim para poder ser você. E que a gente só vai se encontrar de novo daqui a uns dez anos, quando você virar adulto de vez. Vai com Deus, filha. Com Deus e com a certeza de que, mesmo da outra mesa, eu vou estar sempre perto de você. Porque só tem uma coisa melhor que ser mãe: ser SUA mãe.

Te amo,

Mamãe

7 comentários:

Filinha disse...

Ownnn!

Que bonitinho, mã!
Tinha coisa que nem eu lembrava! Mã, te amo demais!

E hoje, que é o meu dia, não sou eu que mereço parabéns, é você, por ser a MELHOR mãe do mundo!

Te amo

Fada ME

PS - coloca outro post com uma foto mais bonitinha minha, vai... essa dai ta esquistita!

PSS - Te amo

ANNA disse...

Ana, vc me emociona com suas palavras.
Parabéns à ME e parabéns a vc pela grande garota que vc criou!

Beijos

alice disse...

Owww... Que lindo!!!
Parabéns pras duas!!!! =D
E diz a ela que a foto tá uma graça. Hehe.

Juliana Mattoni disse...

gente, chorei.

Virgínia disse...

Não é mesmo fácil ser a mais velha... nem sei quanto lutei para ter algumas liberdades que minha irmã teve depois que minha mãe viu que não matava! ahdauhduahduahduh Parabéns para sua filha e para você. Ela é linda!

"a" MH disse...

Adorei!!

Ana, parabéns pela filha maravilhosa. A ME é realmente incrível, sou fã dela e vcs sabem...

ME, querida, ser a filha mais velha é dureza mesmo, também senti na pele (e ainda sinto de vez em quando!). Mas vocês aí fizeram um trabalho maravilhoso, viu? Muitas felicidades pra você sempre!! beijo,
MH

Flavio disse...

Ana, finalmente te encontrei e apesar do atraso, manda um beijo grande prá ME.
Conta pra mim o quê vc coloca na comidinha dela prá ela crescer tanto assim...rs
Supermother, parabéns prá vc também, apesar dos poucos momentos que convivemos juntos nesta fase com os babys,eu acho um show como vc tira tudo na letra com eles ( o trocadilho deu certo?).
Bj grande, Flá