segunda-feira, 5 de maio de 2008

Filha 3.0

Pelo MSN:

Filha: oi, mm!

Mãe: Oi, filha. Tudo bem?

Filha: td. E vc? 9ddes?
Mãe: Não, filha. Sem novidades. Tô aqui, soterrada como de hábito.

Filha: taum tá. Dpis flams.
Mãe: Filha, posso perguntar uma coisa?

Filha: Pd.

Mãe: Por que vc come as letras?

Filha: Hm?

Mãe: Por que vc fica me mandando essas mensagens enigmáticas, sem vogais?

Filha: Pro seu prpr bm.
Mãe: Pro meu bem???

Filha: É. Qr vr?
Mãe: Quero.

Filha: e eu eee ó a oai oê ão ai eee aa.

Mãe: O quê???

Filha: Eu disse que “se eu escrever só as vogais, você não vai entender nada.” Viu só km vc n ntndeu?

11 comentários:

"a" MH disse...

hahaha

essa geração já nasceu com o teclado como extensão das mãos, dão um banho na gente... e ainda por cima é espertinha... rs

beijo!

Anônimo disse...

Entendeu, Ana?!!!
Bjs
Val

Bruno disse...

hahahaha, fazendo valer a lei do "menos pior"

Cassio disse...

Têm lógica :)

Anônimo disse...

hhh!

t S2 (crçao)

iss eh tcnlga

bjs

Rubi disse...

O problema e que qualquer dia nao sabem escrever.

Beijinhos

Anônimo disse...

Quando eu era criança existia a língua do pê. A gente falava na maior velocidade, e os adultos se preocupavam porque a gente não ia aprender a falar direito nunca mais...E tinha também o Chico Bento, que "falava caipirês" nas revistinhas...preocupando os professores, a gente ia aprender a escrever errado também...
Adorei a presença de espírito dela!!!
Bjs. Rosana.

Ana Téjo disse...

MH,
E de pensar que eu fiz curso de datilografia quando estava na faculdade... Humpf!

Val,
ntndi!

Ana Téjo disse...

Bruno,
Onde será que a gente vai parar?

Cassio,
Tem. Mas tem sentido?

Ana Téjo disse...

Filha?
Isso foi você?

Rubi,
Ou eles, ou nós.

Ana Téjo disse...

Rosana,
E apesar de tudo, a gente aprendeu, não é? É o que me consola. Se bem que a gente não passava 18 horas por dia falando a língua do P, né?