sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Dia de sorte


Sorte é uma coisa engraçada.

Depois de cinqüenta minutos dentro do carro, num percurso que não deveria levar mais de vinte, chego, finalmente, às imediações de casa.


Hora do almoço, muita gente na rua. De dentro do carro, vejo duas moças fumando. Deviam ter acabado de almoçar e estavam voltando para o trabalho. As duas apagam o cigarro ao mesmo tempo, jogando as pontas na calçada.


Olho e concluo baixinho que educação é algo que se (des)aprende cedo.


A uns dois metros dali, um mendigo pára de cutucar o lixo e ergue os olhos, sorrindo. Num gesto quase de dança, ele se volta na minha direção, inclina-se para o carro e diz, divertido, do lado de lá do vidro:


_ Hoje é meu dia de sorte.


Acompanho seus movimentos pelo retrovisor e o vejo se abaixar e pegar as duas pontas de cigarro do chão. Duas de uma vez! E acesas, ainda por cima! É. Sorte é mesmo uma coisa engraçada. Engraçada e relativa.

13 comentários:

Cláudia disse...

Sorte e azar são conceitos muito ligados à expectativa: se ele estivesse esperando encontrar um maço cheio, novinho, não teria considerado uma sorte encontrar duas bitucas acesas que alguém jogou.
beijo

Iúna disse...

não foi pão, nem leite, muito menos um caviar, nada disso, duas bitucas de cigarro acesas. Só não vou chamar um sonoro palavrão em respeito à sua pessoa charmosa e educada, mas é revoltante, e os caras engravatados nos gabinetes arranjando soluções estapafurdias para a legião de indigentes (os que estão abaixo da propalada linha de pobreza)

Luci disse...

sim, tudo depende do ponto de vista!
FELIZ ANIVERSÁRIO!!!!!
com saúde e muito amor!
bjs!

Márcia(clarinha) disse...

As duas pontas naquele instante lhe valeram mais do que um filé com fritas, seu prazer é infinito, acalmou-lhe a alma...

Parabéns [soube pela querida Luci do seu aniversário]

lindos dias
beijos

dctorxix disse...

me falaram que era aqui que tinha volo,acho que cheguei cedo de mais

abraços

dr x

Ana Téjo disse...

Clau,
A expectativa é uma das maiores forças da humanidade. Eu acho.

Iúna,
Agradeço a deferência.
Acredita que dia desses li uma matéria contando a história de dois repórteres de jornal que passaram uma semana na rua, como indigentes, convivendo, inclusive, com alguns deles? Fora o medo, o frio, a dor e o desconforto, a constatação mais surpreendente foi a de que não é difícil conseguir comida, banho ou roupas. Difícil é conseguir sustentar os vícios com bebida e cigarros.
Agora, por mais injusto e por mais cruel que seja, juro que a felicidade dele foi genuína.

Ana Téjo disse...

Luci,
Com certeza, querida. E o seu é sempre dos mais iluminados.
Obrigada pela lembrança.

Márcia.
Acho que valeram mesmo. Ele ficou verdadeiramente feliz. Fumou como se fosse um magnata.
Obrigada, querida, pela visita e pelos parabéns.

Ana Téjo disse...

Doctor,
Estamos de dieta, mas agradeço de coração a sua visita.
Quem sabe mais tarde, a gente faz um bolinho diet, só pra não passar em branco.
Ana

Emília disse...

8 do 8 é meu dia de sorte, passei para dar abraço a minha companheira de signo ;D e desejar muita sorte também.

Mani disse...

E a falta de educação das moças se revelou a sorte do mendigo...

Anônimo disse...

Tava com saudades desses posts, frutos da sua observação sagaz, reflexivos, conclusivos...
Saudades de vc tb.
Tem algum leaãozinho com idade nova por aí?Parabéns e muitas felicidades.
Posta mais!
beijos
Val

Zagaia disse...

Choquei!!! Amei o Post... Ahhh pense como fazer coisas impensadas (jogar bituca na calçada) pode ajudar os outros... AMEI!

Isa disse...

Bota relativa nisso!!!
bju