sexta-feira, 6 de março de 2009

O primeiro coração partido.

Minha filha,


O primeiro coração partido não é fácil de lidar.

Lembro muito bem de quando levei o primeiro fora (foram vários) do meu primeiro namorado (também foram vários).

Lembro da sensação de vazio, da angústia, de olhar para os próximos cinquenta ou sessenta anos e de não enxergar absolutamente nada que valesse a pena.

Lembro de chorar muito. E alto. Eu chorava alto, filha. Queria que o mundo inteiro ouvisse o tamanho da minha dor.

Lembro de me sentir péssima, arrependida e de imaginar que se tivesse sido um pouco mais legal / paciente / tolerante / fácil (?!), talvez continuasse tudo bem.

Lembro de achar que nunca havia amado tanto na vida e que nunca amaria de novo.

Lembro da minha mãe me olhando com olhos brandos e dizendo que era só o começo e que eu ainda passaria por aquilo dezenas de vezes.

Lembro de responder que não aguentaria e que, se viver era aquilo, eu preferia morrer.

Lembro também da sua avó dizendo que o motivo de toda a minha tristeza era um babaca sem noção (na verdade, ela não disse “babaca sem noção”. Sua avó nunca falou assim. Estou adaptando para os dias de hoje) e que eu era infinitamente melhor do que ele.

Lembro de achar que nunca passaria.

Felizmente, lembro que passou. E passou várias vezes.

 

Exatamente como está acontecendo com você hoje, minha filha.

 

Você, meu amor, é maravilhosa. É um oásis nesse mundo cronicamente adolescente, tão ressecado de gentileza e inteligência. Você é sensível, delicada, culta, articulada, escreve lindamente e tem os cabelos e as pernas mais sensacionais que eu já vi na vida. Você tem olhinhos de jabuticaba e nariz de tobogã. E tem covinhas!

 

Você, minha filha, é um espetáculo em três atos para ser assistido e apreciado com calma. E não tem bundão, merdão, bostão, crianção, melecão no mundo que mereça uma lágrima sua que seja. Você nasceu para ser admirada e valorizada por alguém com muita sensibilidade. E até você encontrar essa pessoa – e você vai encontrar, eu garanto – vai deparar com um monte de lixo pelo caminho. Faz parte. Conhecendo, experimentando (e sofrendo até), a gente aprende a refinar a sensibilidade e a depurar o coração. E a cada bundão que te chutar, você vai estar mais preparada para reconhecer o amor da sua vida. Você vai ver.

 

Tenha fé, meu amor. Fé e força na peruca, que esse mundo é um hospício, mas é maravilhoso para mulheres valentes e lindas como a que você está se tornando.

 

Te amo,

 

Mamãe.

 

P.S.: e vai passar. Eu prometo. Eu sei que parece que não, mas vai. 

19 comentários:

menina-rato disse...

ME,

somos da categoria de moças q não nascem, estreiam.

nariz pra cima, peito inflado e vai.

lembra do q eu te falei - aventuras com trates são extremamente divertidas e necessárias... qdo vc encontrar o homem certo é a mesma sensação q se aposentar.. hihihihihihihi

acho q vou usar um pseudonimo hj.

Mel Geve disse...

Mamãe...

Que bonitinho! Eu acho mesmo que não vou sobreviver e que a vida não vale mais a pena. Mas concordo plenamente que ele não merece nem uma lagrima minha. Nem uma lágrima, nem um post, nem um cuspe! Ele não merece nada! Nadica de nada!

(aqui eu coloco o emoticon de Humpf!)

Menina-Rato,
hahahaha!
Adorei! Adorei!
Beijos

Gastón disse...

ME, não conta pro Montanha. Tenho medo da reação violenta daquele brutamontes. Ele pode exterminar esse carinha aí que fez isso com seu pobre corçãozinho.

Cláudia disse...

ME,
quer que eu chame uns mano lá de Santo Amaro pra dar um corretivo nele?
beijo

Cassio disse...

Vai passar

Cassio disse...

Não estou sendo insensível :(

Mas vai passar

yaralucas disse...

A fila anda, hehehe.

E aposto que ele não era um bom partido: provavelmente tem chulé, peida fedido e a mãe dele deve ser uma chata!! Ainda bem que você livrou dele, olha que sorte!

E o pessoal da fila deve estar comemorando: êêê :o)

MH disse...

Lindo post!

ME, claro que vc sabe que sua mãe tem toda razão... nem te conto minhas histórias com otários que não me mereciam...
Mas tudo isso nos prepara de verdade pro cara certo - pra reconhecer, aproveitar e ser feliz com o cara certo!
Você é linda, e uma pessoa incrível. Deixa esse bobo que se dane! TUDO passa!
beijos

Ana (amiga MH) disse...

Oi ME!
Eu tava no chá da MH e me apresentei para vcs!
Primeiro: que gostoso essa mãe te escrever um post lindo desses!! Valeu vc ter liberado! rs
Segundo: chora, esperneia, fala mto (ou pouco)... uma hora esgota! Td se acalma, a gente guarda isso numa gavetinha e fecha ela! Dai, depois de algum tempo, abre a gavetinha e vê que nem dói mais! Depois de mais tempo, abre a gavetinha e dá boas risadas e isso vira uma história que a gente conta morrendo de rir, sobre um babaca que um dia a gente achou que era bacana...
Eu coleciono alguns babacas tb (como a MH), que hoje me servem pra contar histórias p/ as aminhas e me divertir!
Aproveita teu cabelão lindo pra fazer charme por aí e bola pra frente (que atrás vem gente! - frase brega, mas vem mesmo! rs)
Bjos
Ana

Confeiteira Sonhadora disse...

Verdade...dó muito...mais passa...
é dificil se recupera mais passa...
Meu coração partido demorou 10 meses para melhorar um pouco... mas hoje está ótimo....

Anônimo disse...

ME,
É isso mesmo...
Como todas já disseram aqui, isso passa.
Eu também já sofri demaaaissss...
Tudo era demais. O lixão era demais também.
Mas isso serve mesmo pra gente identificar quando príncipe surgir à sua frente!
E ele não merece...sabe por que? Porque é um bestão...!
Um beijo!
E Ana, parabéns pelo post! Tão, mas tãooo lindo!
Bjs.
vivi

Ana Téjo disse...

Menina,
Se aposentar, hein? Não sei... Vou pensar nisso.

Filha,
Força nessa peruca linda que você tem.

Ana Téjo disse...

Gastón,
Nem me fala. Já pensou? Seria um massacre sem precedentes...

Clau,
É bom deixá-los de sobreaviso, só or segurança.
Beijo, querida.

Ana Téjo disse...

Cassio,
A gente sabe que vai.

Yara,
Isso tudo, sem falar no bafo, né? Arghhh!
Vem coisa muito melhor por aí...

Ana Téjo disse...

Mh,
Obrigada, querida.

Ana,
Muito obrigada. Pela audiência, pelo prestígio, pela visita e pelas palavras de apoio.
A gente chega lá, né?
Chega até onde vimos que a MH chegou - tão lindamente - e vai além.
Não vamos perder a fé1
Beijos.

Ana Téjo disse...

Confeiteira,
Dez meses??? Fizeram um estrago e tanto no seu coraçãozinho, né? Ainda bem que passou.

Vivi, querida,
Que saudade de você.
Obrigada pelas palavras. Já está passando. Eu me atreveria até a dizer que quase passou!

Lala disse...

Ai meu Deus, como eu não li isso antes?

Sua mãe tem razão, Coisa Mais Linda, a gente pensa mesmo que vai morrer. Mas o fato da vida é que a gente não morre e chega um dia em que você olha pra isso tudo e pergunta "Como eu pude?". Tudo bem, faz parte. Homens errados são como a moda de 10 anos atrás - na maioria ridículos, mas a gente usou um dia.
Fique triste, fique decepcionada, fique com raiva. Você tem TODO o direito do mundo.
Mas pense que esse BUNDA MOLE provavelmente era MIXO DEMAIS pra você.

E nunca, never jamais em hipótese alguma, esqueça de dar bom dia pra cara LINDA DE MORRER que você vê no espelho de manhã, e também dar um pequeno tapinha no ego dela: Sabia que voc6e está um arraso essa manhã?
Beijo pra filha, e pra mãe que me fez chorar de verdade com esse post.

P. IZABELA disse...

Q post lindo... Queria ter sido sua filha. kkkkkkkk. Minha mãe nunca me apoiou assim. Snif...

zhion|off disse...

ME,

A única coisa que sua mãe não falou foi do gostinho doce de "baba baby" que você vai sentir quando superar tudo isso. ;)

You go girl!