segunda-feira, 11 de maio de 2009

Mãe que é mãe...

Esse ano, meu filho cresceu e foi para a escola grande, junto com a irmã dele.

Ele estranhou a classe sem brinquedos, o recreio muito curto, a professora que fala sem parar e a quantidade de lição de casa. Eu estranhei o fim das festinhas de Dia das Mães. Acabaram os cartões toscos, os cinzeiros de argila, os vasos pintados com tinta acrílica, os pregadores decorados...

Não que a escola grandona não faça nada. A comemoração desse ano foi em um cinema (!) na Avenida Paulista (!!), às nove da manhã (!!!) de sábado (!!!!).

Programa: mães e filhos seriam recebidos pelo coral da escola e tomariam café-da-manhã. Depois as mães veriam um filme de mães (“Eu Odeio o Dia dos Namorados”!) e os filhos veriam um filme de filhos. Confesso que não entendi nada. Qual é o sentido de comemorar o Dia das Mães separada do filho? Conversei com meu filho e resolvemos pular.

Acordamos no sábado e tomamos nosso próprio café-da-manhã, sem cinema nem coral, mas com morangos, leite com chocolate e pão de queijo, na nossa própria cozinha.

De repente, ouvimos música vinda da escola vizinha à minha casa e fomos os três para a janela. Eram os pequenininhos da pré-escola, agrupados em círculo, cantando em português e em inglês para um bando de mães emocionadas.

É claro que eu chorei. Mesmo da janela; mesmo sabendo que a festa não era pra mim; mesmo sem conhecer uma única criança; mesmo nunca tendo entrado naquela escola. Chorei porque mãe é um bicho que chora em festas genéricas de Dia das Mães. Para sempre.

4 comentários:

MH disse...

iiiih, eu estou frita... já choro agora, sem filhos, imagina quando tiver?

Vivi disse...

Sentiu falta da escola de antes, Ana??
Acho que eu sentiria...Pelo menos, um aperto de que as coisas vão mudando, sei lá...
Beijão!

Diane Lorde disse...

Parabéns por continuar sendo mãe à moda antiga e valorizando as coisas bobas, mas muito boas da vida!

ROSA AZUL disse...

Gostei do post mas ha uma coisa do qual eu discordo. Aquela festa na escola vizinha a sua casa era para as maes logo para vc tambem.Tenho uma tia que diz de todas as festas genericas a singular e especial e mais que verdadeira 'e o dia da mae.
Mae 'e Amor!A mae 'e o sal da terra!
Beijos