quinta-feira, 9 de agosto de 2007

A delicada relação de simetria do eixo pé-boca ao longo de quatro décadas na sociedade ocidental contemporânea.

Algumas coisas não mudam nunca. Ou mudam, mas apenas de lugar.

Alguém aí já foi criança? Ótimo. Pois eu tenho um desafio para todos os meus leitores com idades entre 30 e 50 anos. Que atire a primeira meia fedida quem escapou de usar bota ortopédica na infância. Aquelas mesmo, horríveis, marrons ou pretas, que as mães compravam e faziam a gente calçar à força. As minhas viviam nos meus pés e tinham uns furinhos na frente que deixavam entrar um monte de areia do parquinho. Alguém? Alguém escapou? Talvez o moço ali, mordendo a caneta na frente do computador? Não?! E a mocinha que cria aranhas em casa? Também não?

Com base nessa teoria de que todas das crianças das décadas de 60 e 70 usaram botas ortopédicas, não é difícil concluir que naquela época, todo mundo tinha pé torto, chato ou ambos.

Hoje a coisa mudou, mas apenas de lugar. Que atire o primeiro frasco de Cepacol, o ser humano com idade entre 13 e 25 anos que escapou de usar aparelho ortodôntico. Não tem, né? Até em adulto, estão colocando aparelho! Hoje, cem por cento do universo tem algum problema gravíssimo de assimetria dentária que se não for corrigido a tempo, vai impedi-lo de comer, de respirar e até de falar. Isso, sem mencionar as dores de cabeça lancinantes que certamente o assombrarão até a terceira idade (“se” ele conseguir viver até lá).

Analisando em retrospectiva, imagino como conseguimos nos manter bípedes até o advento salvador das botas ortopédicas. Na seqüência, penso em como fomos capazes de evoluir com os dentes tãããããão impossivelmente tortos. Como nossos pais, avós e bisavós conseguiram viver, mastigar e procriar com uma boca daquela? Já sei! As arcadas estão diminuindo, né? Já não cabem os mesmos dentes na boca e só um bom aparelho, por quatro ou cinco anos, com taxa de manutenção mensal, pode nos salvar. Entendi. Deve ser porque com o passar dos anos, a chatice dos pés passou para a boca. Só pode ser.

26 comentários:

Fabi disse...

Ana, eu não usei bota nem aparelho nos dentes e tudo tá certinho.
Será que tenho algum problema?
bjk

Mary disse...

ah ah ah
A mocinha que cria aranhas em casa sou eu????rs.Nem te contei que ela morreu né???Pois entao...se foi!
Agora, Ana não me lembro de ter usado essa botinha aí...Minha irmã que o diga, pois piso torto até hoje e ninguém consegue andar em cima de nenhum calçado meu...
Massssss...o aparelho sim!Já até comentei neh? Usei 6 anos (fixo e móvel) e acredita, acho que vou ter que usar novamente. Fui ao Otorrinolaringologista, devido uma dor muito forte em um só ouvido, e ela Diagnosticou disfunção temporomandibular (Isso pq sou muito ansiosa e forço, "aperto" muito a mandíbula e essas coisas), por isso terei que usar um aparelho, dessa vez diferente e esquisito para corrigir isso e a dor sumir.


OBS.: Pergunta a Cláudia como foi que ela fez para "criar" curvinhas no pé e não deixá-lo ficar torto!

Renata disse...

Nossa, Ana, tem razão!

Esse mundo mercenário está perdido mesmo.

Antigamente, só os amiguinhos com dentes horrorosos é que usavam aparelho. E todo usavam botinhas...mas eu não. rs

Bjo.

p.s: em compensação, minha mãe amava sandalinhas São Francisco, e eu odiava com todas as minhas forças! rs

Adauto disse...

E que atire a primeira chupeta ortodôntica a criança entre 3 e 13 anos para a qual não tenha havido uma recomendação de frequentar uma fonoaudióloga porque "estava demorando muito pra falar" ou sua "dicção não estava correta".

Parece que a chatice começou a descer novamente e já atingiu as cordas vocais...

Anna disse...

Pois eu não escapei nem da bota ortopédica e nem dos aparelhos ortodônticos...
Devo ser toda torta mesmo! hahaha
Já contei o episódio da minha bota ortopédica, não contei?
Que meu pai cortou o bico das botas para eu poder usar por mais um tempinho dentro de casa. Porque, segundo minha mãe, criança "cresce que nem abobrinha", e as botas ortopédicas eram caaaaras.
Fique tranquila, daqui a pouco eles arranjam mais algum item de correção em série para as crianças.
Beijo

Isa disse...

Eu não usei!!!Mas minha irmã do meio tadinha, não escapou. Eu morria de dó vendo ela usar aquilo, um treco pesadíssimo. Naquela época, como diria minha saudosa avó, um mal necessário...rsrs...

bjos

Gastón disse...

O rapaz aqui usou aparelhos de todas as cores, modelos e tamanhos por 5 longos anos. E usou bota ortopédica. Ódio daquilo. Isso sem falar nos óculos...

Ana disse...

Não usei aparelho, graças! Mas usei a bota. Quer dizer, minha mãe tentou fazer com que eu usasse, dando 4 nós no cadarço, que eu tirava com os dentes.
Meu irmão tb usou. Ele eu não sei, mas eu continuo pisando torto até hoje, meus sapatos são todos gastos na parte de fora.
(talvez eu não devesse ter tirado a bota ne..) :P

Re disse...

hahahahah Ana.... eu usei botinhas.... brancas.... que eram de menina.... mas vou dizer o que é pior, minha mãe deu um banho de bronze nelas e hoje elas ficam na sala da casa dos meus pais.... como um marco do meu pézinho torto.... ninguém merece... bjs Re

Isabella Kantek disse...

Ana, acredite ou não estava pensando justamente nisso. (minhocas da minha cabeça de mãe que sofre por antecedência)
Eu usei aparelho até precisar fazer cirurgia, então foram uns bons 8 anos ou mais. Que sacola, viu!
Escapei da botinha mas só porque nasci numa outra década. (rss)
Adorei a conslusão. Beijos.

Claudia disse...

Ana, usei os dois. O pé eu não sei, mas meus dentes eram certinhos, mas a dentista disse que a mordida estava com problema...rsrsrsrsrs...Eu devia ter dado uma mordida nela. Lembro até hoje o dia que tirei as botas e lembro da sandalinha nova que saí da clinica....aaaiiiii...infância. Vou te mandar qualquer hora dessas uma foto minha com a botinha....terrivel! Beijo Claudia Aleixo

MH disse...

Bota ortopédica não, usava era sandálias Ortopé. Até lembro da musiquinha...
Aparelo móvel (daquele que fica meio solto e faz a vítima babar), fixo e o belíssimo cabresto.
De tempos em tempos deve ter uma reunião de cúpula onde decidem o próximo alvo e qual o segmento a ser beneficiado... é fogo!

angela disse...

Anna, não creio, minha m~~ae fez o mesmo com as minhas botinhas, e tem várias fotos prá comprovar, q horror!!! única coisa q eu gostava era acertar a caneta dos outros come elas, hahaha....aparelho não usei não,mas bem q eu queria, olha q louca!! e minha filha aff, já tá usando tenis ortopédico, pelo menos não dá prá perceber, o tênis é bonitinho, até já me perguntaram onde comprei, haha

Ana Téjo disse...

Fabi,
Ainda está em tempo.
Quando estava grávida do meu filho, fui a um dentista que teve a audácia de dizer que eu devia usar aparelho. Acredita?!

Mary,
Você mesma. Quantas leitoras que criam aranhas em casa você acha que eu tenho? Morreu?! Meus sentimentos...
Sobre as botinhas mocinha, quando você nasceu, a moda já eram os aparelhos.
Ah, a terrível disfunção temporomandibular... que bom que teve jeito. Só não sei (mesmo) como é que nossos antepassados viveram com horrores assim assombrando o mundo...

Ana Téjo disse...

Re,
Você passou invicta às botinhas e ao aparelho?! Meniiina, vou te mandar pro Programa do Jô, junto com a Fabi.

Adauto,
Minha filha! Minha filha teve que fazer sessões de fonoaudiologia porque sua dicção não estava correta. Não fez diferença alguma e eu gastei uma pequena fortuna.
Com meu filho, resolvi economizar.
Pensando aqui... com a chatice novamente descendente, tenho medo de imaginar onde nossos netos irão parar...

Ana Téjo disse...

Anna,
Contou, querida. Mas eu morri de rir de novo.
Mas aposto que hoje você tem os pés mais legais e os dentes mais simétricos da paróquia, não?

Isa,
Vovó sabia das coisas.

Ana Téjo disse...

Gastón,
E seus pés ficaram legais ou continuam chatos?

Ana,
Tirava com os dentes?! Rolando de rir aqui. O que a gente não fazia pra se defender, né?

Ana Téjo disse...

Rê,
Pelamordedeus! É a imortalização da maldição.

Isabella,
Sugiro veementemente que você comece a economizar.

Ana Téjo disse...

Clau,
Mordida cruzada, né? É um caso gravíssimo. Gravíssimo!
Manda foto sua de bota que a gente faz um painel de criancinhas lindinhas e suas botinhas medonhas aqui, no Pensatriz.

MH,
Pela lógica, provavelmente algo relacionado à simetria vertebral...

Ana Téjo disse...

Angela,
em breve ela estará usando aparelho. Prepare o bolso e o espírito. Afff!

Cláudia disse...

Ana, eu não só usei as botas medonhas, pretas, como não queria saber de tirá-las do pé pra nada. Minha mãe um dia comprou uma sandalinha branca, linda, e contou que eu não dei um passo, porque calçado era a tal bota!
Aff, lavagem cerebral!!!
Mas era a minha tia Mada, mãe da Nana (Mary), quem me levava pra andar descalça na areia da praia, pra fazer curvinha no pé.
Aparelho eu escapei. Não por total falta de necessidade, mas por total falta de saco da minha mãe, que já tinha penado longos anos com a minha irmã. Aí ela achou que o meu dentinho levemente separadinho do lado não era assim um caso de polícia.
beijo

Luci disse...

lá já e amanhã...
volto mais tarde!
bjs!

Rubina disse...

Ana

Eu não usei nem uma coisa nem outra...lol...Esquisita, não sou? lol

Ana Téjo disse...

Clau,
Você gostava? Gostava mesmo, tipo, achava "bonito"? Afff! Criança tem uns referenciais incríveis, não é?
Ainda bem que sua mãe poupou você do aparelho.

Luci,
Fui lá.
Obrigada, querida.

Ana Téjo disse...

Rubina,
Esquisitíssima!

Eduardo disse...

Caramba, vc tornou pública uma das minhas maiores teorias! Merece meu respeito tecnológico e uma adição de seu blog aos meus favoritos!

P.s: Vou continuar com meus dentes da frente meio abertos sim! Ora bolas...