terça-feira, 8 de janeiro de 2008

A Fuga – Parte II

Recapitulando: eu, uma adoradora ferrenha de roedores, tinha acabado de saber que o hamster de estimação dos meus filhos, que estava passando as férias lá em casa (o hamster. Os filhos moram comigo), havia acabado de fugir.

_ Mas fugiu como, criatura?
_ Ah, mamãe, eu não sei. Eu tô tão nervosa que não tô nem conseguindo pensar! E não me dá bronca, tá? Eu já tô sofrendo o suficiente.
_ Mas, peraí. Como é que ele fugiu? Você soltou o maldito?
_ Ele não é maldito, mamãe! Pááára de implicar com ele. E, não. Eu não soltei. Eu coloquei um pouco da palha da gaiola no trailer, peguei ele direitinho de dentro da gaiola...
_ Eca!
_ ... e coloquei no trailer.
_ Você colocou ele no trailer?
_ Coloquei.
_ Tem certeza?
_ Tenho.
_ Então ele está no trailer, ora bolas!
_ Não está, mamãe! Eu já olhei.
_ Já experimentou afastar a palha?
_ Já.
_ Já chacoalhou o trailer para os dois lados?
_ Já.
_ Já tentou espetar a palha com um garfo pra ver se ele grita?
_ Mamãe!!!
_ Tá bom, tá bom. Escuta... e a palha velha?
_ Tava cheia de uns mosquitinhos... acho que eram piolhos. Aí, eu joguei fora num saco de supermercado e dei um nó bem apertado, como você mandou.
_ Piolhos???!!! Que nojo, filha. Pelamordedeus! Será que piolho de hamster passa pra gente?
_ Ah, mamãe. Sei lá! Imagina se eu vou me preocupar com isso agora.
_ Pois devia. Escuta: será que você não jogou o bicho fora junto com a palha velha?
_ Será? Buáááááá!
_ Calma, filha. Vai lá no lixo, pega o saco com a palha velha, apalpa e vê se você não sente uma coisa se contorcendo lá dentro.
...
_ Não tava, mamãe.
_ Tem certeza? Mas você apalpou direito? Apalpou com força?
_ Mamãe, pára! Você quer que ele morra?
_ Well...

...
_ Mamãe, a gente vai ficar fora dois dias e ele vai morrer, perdido pela casa. Só tem um jeito de evitar que isso aconteça.
_ Sei. E qual seria esse jeito?.
_ Deixar um pouquinho da comidinha dele em cada cômodo da casa.
_ O quê??? Você tá louca? É mais fácil uma boiada inteira voar do que eu deixar você espalhar um “pouquinho de comidinha em cada cômodo da casa”.
_ Mas ele vai ficar com fome!
_ Não vai, não, filha. Ele vai comer nossos sofás, nossos sapatos, nossos casacos de cashemere... Ah, bicho dos infernos! Vou ter que sacudir cada sapato que eu for calçar daqui pra frente.
_ Pára de ser cruel, mamãe! Imagina só, o coitadinho, perdido, sozinho, com frio...
_ Ei, rélôu! Primeiro: coitada sou eu, que não vou dormir em paz sabendo que há um roedor à solta pela casa. Segundo: perdido e sozinho porque quer. Quem mandou fugir da droga do trailer? Terceiro: está fazendo trinta graus lá fora, caramba! Agora, vamos embora que a gente já perdeu tempo demais atrás desse troço.
_ Mas mamãe...
_ A-GO-RA!

(continua)

16 comentários:

angela disse...

aiê!!!!!!!!!!!!!!!!!! se um bicho desses entra no meu carro, eu não entro nunca mais!!

Luci disse...

tadinho do porquinho da índia, perdido num apto. inóspito!
só mãe consegue ser cruel com seus filhotes!
(qto ao gato é só pedir, ok?!)
amigas tb. são cruéis!
bjs!
sp: JU?! alguém do meu passado virtual ...

"a" MH disse...

quero muito ler o final dessa história!!!

Rodolfo Barreto disse...

Essa história de criança gostar de rato é coisa do Mickey. Liga agora pro flautista de Hamelin e dê um sumiço, quer dizer, ache o meliante.

Cláudia disse...

Chama o Tom, do Tom & Jerry!

Liga, não, logo ele aparece. O Batistuta, hamster do amigo da minha filha, ficou sumido uns dias enfurnado numa fresta de armário e depois renasceu das cinzas.

beijo

Ana disse...

Ana to morrendo de curiosidade...
Agora fala serio, como vc pode não gostar de um bichinho tão lindo, olha a foto que vc colocou no post!
Beijo

ANNA disse...

Eu ficaria em pânico dentro de casa sabendo que há um roedor solto por lá!
Aaaaaaiiiii que horror!

Mas estou curiosíssima para saber o final.
Beijo
Anna

I hate Ammospermophilus leucurus disse...

Luci, obrigado pelo esclarecimento - eu definitivamente não sabia que estes ratinhos modernos eram os antigos porquinhos da Índia, agora disfarçados de hamsters...

Mudaram até de nome para ver se conseguiam quem gostasse e não achasse que eram roedores...

I hate them then, I hate them now, even more...

WWW disse...

Ana - mesmo antes de ler o final dessa deliciosa estória, será que sua adorável filhota ME não quer trocar um Hamster por três peixinhos?
(hospedagem a ser discutida em reunião extaordinária de cúpula na residência da Ana Téjo)

Vantagens:

Peixes não tem cheiro, dentro d’água, que fique bem claro...

Peixes não roem nada, e, mesmo se tentarem, o universo deles é vidro, que é mais duro do que os dentinhos dele, ou água...

Peixes tem uma variedade muito maior de cores do que ratinhos...

Peixes não gostam e não sabem se locomover em trailers...

Peixes podem ser transportados em simples sacos plásticos...

Peixes não gostam e não sabem andar de roda gigante ou esferas...

Peixes não sentem frio e nunca vão precisar de casaquinhos e outras roupas que hoje em dia tem prá vender em lojas de pets ( ou será pests...rs).

Essencialmente, peixes não fogem, e, se fugirem, é fácil encontrá-los, na barriga de algum felino...

Anônimo disse...

Sou natureza, totalmente a favor de todos os animaizinhos (por pior que eles sejam), mas não tenho apego com nehum deles.... Não gostaria de ter animal de estimação (como tenho uma cachorrinha), mas como não moro sozinha e nem tenho como mandar a cachorrinha para casa do meu pai (pq é do meu irmão e meu irmão mora com a gente), tenho q suportar... Até dou atenção, faço carinho... nada muito assim, sabe? Mas por "educação" mesmo... rs
Mas imagino você, que odeia certo ser e ainda tem que conviver com essa situação... Mas Ana, levante as mãos pro céu e agradeça muito por seus filhos não terem paixões por essa criaturinha (veja a matéria e a foto desse ´primata em extinção que saiu no portal Terra)...rs.
P.S. http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI2217442-EI8145,00.html

No mais... por isso que prefiro meus parasitos...não incomodam ninguém e nem fogem das lâminas!!!

Feliz 2008

Abraços

Mary

Ana Téjo disse...

Angela,
E se ele entrar no seu quarto? Hein, hein?

Luci,
Ele fugiu porque quis. Como dizia meu pai: "ele que arque com as conseqüências dos próprios atos".
E só cá entre nós: por favor, deixe o gato a postos (a gente nunca sabe quando pode precisar).

Ana Téjo disse...

MH,
Tá saindo, tá saindo.

Rodis,
Ia demorar muito pra ele vir da Alemanha até aqui. Posso chamar o Centro de Controle de Pragas?

Ana Téjo disse...

Clau,
E trocar um rato por um... gato?! Por Dios, mujer!

Ana,
A foto é meramente ilustrativa.

Ana Téjo disse...

Anna,
Eu entendo e compartilho do seu pânico. O final, retumbante, vem por aí.

I hate,
Me too.

Ana Téjo disse...

WWW,
Tentei de todas as formas convencê-los a ter peixes, mas eles sempre acharam muito pouco interativos e depois que matamos vários, acho que eles (os filhos, não os peixes) desistiram.
O único peixe que durou, foi um que eles exportaram pra casa do pai. No começo, era lindo, rosa perolizado, sensacional. No fim, ficou cinza e meio capenga, mas durou mais de um ano. Parecia o monstro do Lago Ness, o coitado.

Ana Téjo disse...

Mary,
Que horror!
Tá aí! Parasitas que não fogem das lâminas... será que as crianças iam curtir?
Beijos e feliz ano novo também.