sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Nome de peso

Estamos no comecinho dos anos setenta e sua mãe, dona Maria dos Santos, fica grávida. É o primeiro filho e ela tem mil planos para você. Fiel, acompanha todos os domingos o programa de um moço muito simpático, na TV. Seu pai, seu Antônio dos Santos, não gosta muito desse “negócio de artista”, mas dona Maria acaba conseguindo convencê-lo. Assim que você nasce, seu Antônio vai ao cartório e faz seu registro.

Não deve ser fácil se chamar Silvio Santos. Tem nomes piores, eu sei. Minha mãe, por exemplo, jura que conheceu, sim, um sujeito chamado Ciurinando. Êta cacófato dos infernos, mas imagina o que deve ser a vida de uma criança homônima do maior apresentador de programas de auditório do país.


Na escola, desde a mais tenra idade, era só você entrar pra alguém dizer: “Silvio Santos vem aí, lá, lá, rá, rá, rá, rá!”. Você olhava desanimado e pensava nos conselhos da sua avó: “liga não, meu filho. Se você ligar, é pior.”


Você cresceu arrumou namorada, entrou na faculdade e nem seus professores perdiam a chance de disparar um “alôôôôô, Siiiilvio!” quando você aparecia. Você começou a trabalhar, já estava beirando os trinta e nada da coisa mudar.


Vai passar. Vai passar. Só que não passou. Você casou e decidiu que seus filhos não teriam a mesma sorte. Quando nasceu o casal de gêmeos, você foi ao cartório e não teve dúvida: registrou-os como Lulu e Lucélia. E não se fala mais nisso.

20 comentários:

Adauto disse...

Pobres crianças! Ainda que estes tempos modernos não comportem mais nenhuma escrava Izaura, ainda assim passarão pelos mesmos perrengues do pai...

Agora é com você Lomb..., digo, Ana!...

"a" MH disse...

hehehe

é quase um jeito de se vingar, passando a maldição adiante...

Anônimo disse...

Podia ser Abravanel.....nada é tão ruim que não possa ser piorado.
Bjs. Rosana.

Cláudia disse...

olha para quem tem primos gêmeos chamados Gleison e Gleides como eu e minha irmã do comentário acima, nada mais nos espanta.

Cláudia disse...

Eu tinha um aluninho na Escola Classe 102 Norte´que se chamava Taironi (sic) Power. O irmão menor chamava-se Laurence. Alguma dúvida de que era o da arábia?

daniela disse...

hahahahahahahahahahahahaha...
o pior é acharem q estão tirando com a sua cara e vc não ter coragem de chamar o cara pelo nome.

Cassio disse...

Eu tenho um monte "causos" assim.

Minha "EX" era (é ainda) pediatram em periferia. Eu nunca vou esquecer do Estive e LADIDIANA.

Mas um amigo em Fortaleza tinha um nome legal.

Alexandre Pinto Rola (Verdade verdadeira, eu vi a identidade)

Legal era a chamada
Moça dizia:
-Alexandre P. Rola (hhehehe)

Ele respondia:

O "P" é de pinto.

:)

PS:Espero que seja publicado, mesmo com os pseudos palavrões. A maldade esta na mente e não nas palavras.:)

Rodolfo Barreto disse...

Não é nada fácil ter um nome assim e a gente sempre acaba lembrando de um causo parecido.

Na época de escola, havia um amigo que se chamava Leandro Luiz da Silva e Silva. O bacana (além do nome, é claro) é que o sujeito assinava o sobrenome Silva ao quadrado.

Vai pro trono ou não vai?

Ana Téjo disse...

Adauto,
E o que tem de gente por aí que carrega esse tipo de cruz...

MH,
Um dia você me explica a razão desse "a" tão enfático?
Pais deviam ser proibidos de passar maldições adiante.

Ana Téjo disse...

Rosana,
Talvez menos pessoas soubessem. Estranhariam, com certeza, mas talvez facilitasse um pouco a vida do coitado.

Clau,
Há certo assuntos de família que deviam ser mantidos em segredo, não lhe parece? Afff!

Ana Téjo disse...

Clau,
Por Dios!
Se a mãe dos coitadinhos continuou tendo filhos, o menorzinho certamente se foi batizado como Omarcharife.

Dani,
No começo, bem que a gente olha desconfiado, mas com o tempo... que jeito, né? E a gente chama pelo nome & sobrenome, só de sacanagem. Ah, como é bom ter 12 anos...

Ana Téjo disse...

Cassio,
Depois de tão prolongada ausência, imagina que eu ousaria censurar um comentário seu. Apareça!

Rodis,
L2S2. Devia ser o xodó do professor de física.

amända. disse...

uma vez, EU JURO, ei vi um menino chamado "william bonner da silva".

achei super tendência.

Luci disse...

eu tive um colega, Beethoven! a família tinha uma sapataria...rs!
e eu me lembrei do seu post do 'valdisnei'.
tem pai que deveria ser preso!
bjs!

Ana Téjo disse...

Amanda,
Nem se preocupe em jurar. Eu juro que acredito.

Luci,
Perderam a oportunidade, né? Podiam ter montado uma escola de música.
Para sapataria... hmmm, Schumacher?
Valdisnei é um clássico. Um nome inesquecível.

• keL • disse...

Sou nova aqui, e não podia deixar de comentar de um caso, pra mim, o melhor de todos:
o pai tão feliz com seu nome OLIMPIO, resolveu que por bem, seu filho teria o nome de OIPMILO, ou seja, o nome do pai, ao contrário! Fala se isso não é criatividade, e é verdade viu?
rsss....tô adorando seu blog!

Ana Téjo disse...

Kel,
Bem vinda. Que bom que você está curtindo.
De fato, a história é um espanto. O pai, não contente com o próprio nome, inverteu as letras para batizar o filho. Ninguém merece, né? Quer dizer, talvez até tenha gente que mereça, mas acho que não era o caso desse menino. Coitadinho...

Leandro disse...

Nossa... Procurando meu nome no Google, não é que encontro este site. Alucinante. Eu sou o Leandro Silva ao quadrado.

Ana Téjo disse...

Oi, Leandro.
É. A internet tem dessas coisas.
Seja bem vindo.
Ana.

Felipe disse...

O Alexandre Pinto Rôla acaba de ser multado em R$ 80.000,00 pela CVM. Acho que isso prova que ele existe, não? =)

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/economia/cvm-multa-pinto-rola/

Eu joguei o nome dele no Google pra achar mais notícias do assunto eo seu blog foi o primeiro resultado apresentado... Não era o que eu esperava, mas foi divertido.