quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Problema de entendimento

Eu tenho, sim. Com tampas de alumínio de potes de danone (e, sim, eu sou do tempo em que a Danone era líder de mercado e todos os iogurtes se chamavam "danone"). Enquanto não consigo remover o alumínio por completo, não tenho paz.

Ana, você não tem mais o que fazer, não? Ô, se tenho. Ana, você não sabe que a remoção parcial do alumínio não afeta em nada o sabor do danone? Sei, sim. Mas enquanto não tiro o maldito, não consigo fazer mais nada. Nem comer o danone.

11 comentários:

Gastón disse...

Aaaaahhhnnn... isso me lembra uma certa implicancia com meus plastiquinhos. COMO você implica com tampas de alumínio e não liga pros plastiquinhos? Heim, heim, heim?

Cláudia disse...

Eu também tenho de tirar tudo. Até porque, eu adoro lamber o iogurte que fica grudado na tampinha.
beijo

Thales disse...

Tudo bem, eu faria o mesmo, mas onde é que você ainda encontra iogurte com tampa de alumínio? Não é tudo plástico aluminizado que não rasga hoje em dia? Ou será alumínio plastificado...

Anônimo disse...

Rs...manias engraçadas!!!
Engraçado que eu tbm sou do tempo que todos os iogurtes se chamavam "danone"...até hj chamo...assim como todo achocolatado em caixinha eu chamo de "toddynho"...
Uma vez mesmo, no meu blog ainda, fiz um post falando sobre minha preferencia pelo iogurte soleil (do solzinho, sabe?), chamando é claro, de "danone" e uma leitora me corrigiu...fala sério!!!!rs

Mary

ANNA disse...

Eu tb tenho essa implicância com s tampas de alumínio. Tem que sair tudinho!
Beijo
(urb)Anna

Ana disse...

TOC, isso é TOC com certeza.
:D

Re disse...

adorei a sua mania.... mas acho que fica mais bonito sem a tampinha.... e nada como comer coisas bonitinhas, ne?
bjs
Re

Ana Téjo disse...

Gastón,
Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.
As tampas de alumínio, eu não deixo e os plastiquinhos, eu não tiro. Sentiu a coerência?

Clau,
Isso é que é gostar de viver perigosamente. E o perigo de cortar a língua, amiga? Afff!

Ana Téjo disse...

Thales,
Por aqui, ainda é alumínio com alumínio e continua rasgando do mesmo jeito.

Mary,
Leitora chata, hein? Aposto que ela que chama chiclete de goma de mascar, bombril de palha de aço e gilete de lâmina de barbear.

Ana Téjo disse...

Anna,
Se não sair, parece que muda o gosto, né?

Ana,
Conheci alguém que dizia que "de perto, ninguém é normal" e que se você achasse alguém que parecess normal é porque não tinha olhado de perto o suficiente.

Ana Téjo disse...

Re,
Tudo pela boa apresentação, né?