segunda-feira, 7 de abril de 2008

Percalços no cume, parte 3

Segunda feira, primeiro de abril, 22h50.

Na sala de espera:
_ Moço, o resultado da tomografia já chegou?
_ Eu acho que não, senhora.
_ Que tal você dar uma olhada, só pra gente ter certeza?
_ Quando o resultado chegar, ele será encaminhado diretamente ao médico e ele chamará o paciente pelo nome, senhora. É só aguardar.
_ MAS A GENTE JÁ ESTÁ AGUARDANDO. DESDE AS OITO DA NOITE. ELE FEZ ESSA TOMOGRAFIA HÁ CINQÜENTA MINUTOS. CINQÜENTA! E O PACIENTE, SÓ PARA ESCLARECER, É UMA CRIANÇA DE SEIS ANOS RECÉM-COMPLETOS. QUE ESTÁ CANSADA, E ESGOTADA, E COM DOR E...
_ É aquele menino ali?
_ Ele mesmo.
_ Aquele que está cantando?

Algum tempo depois:
_ Senhor Montanha Téjo!
_ Vamos, filho. Somos nós. Finalmente.

No consultório:
_ A senhora é a mãe dele?
_ Sou. E essa aqui é a avó dele.
_ Sei; e como foi que isso aconteceu?
_ Ah, aconteceu acontecendo, ué! Ele estava correndo e caiu. Do chão mesmo. Nem estava em cima de nada.
_ Entendo... eu examinei as tomografias e... ele quebrou o nariz.
_ Quebrou? O nariz? Esse narizinho lindo?
_ Esse mesmo.
_ E agora? O que eu faço?
_ Nada.
_ Comassim, “nada”?
_ Não há o que fazer. Não foi uma fratura muito grave, não houve afundamento nem nada. A senhora deve observar, fazer compressas com gelo, se ele permitir, e lavar com Rinossoro.
_ Eu passei Hirudoid, para não ficar roxo.
_ Ok.
_ Mas e se doer?
_ Se doer, a senhora dá o analgésico que ele costuma usar.
_ E se continuar sangrando? Faz quase cinco horas que ele caiu e...
_ Vai parar de sangrar logo, senhora.
_ Mas e se não parar? E se ele não conseguir respirar?
_ A senhora deixa a cabeça dele meio alta essa noite.
_ Mas nem um band-aid do Bob Esponja?
_ Não é preciso, senhora.
_ Mas e se... e se...
_ Amanhã, só por segurança, a senhora marca uma consulta com um otorrinolaringologista para avaliação.
_ E até lá eu não faço nada?
_ Nada. Depois, quando desinchar, a senhora marca uma avaliação com um plástico para verificar a necessidade de uma cirurgia corretiva.
_ Cirurgia???
_ Mas não deve ser necessário. Fique tranqüila.
_ E por hoje eu não faço nada, não passo nada, não dou nada?
_ Nada.
_ Então tá. Vamos, filho.
_ Tchau, palmeirense.
_ Palmeirense é a vovozinha!

4 comentários:

Virgínia disse...

Ainda bem que não vai precisar de cirugia! Eu tive que fazer (mas o meu acidente foi no banana-boat), fraturei o nariz em 3 lugares... ele ficou do lado esquerdo!
Não se preocupe. Para sa sangrar logo. Só acho que o Montanha pode ficar bolsas roxas em baixo dos olhos. É normal. Tb passa!

Amarilis disse...

Passei por uma parecida com meu guri. Ele tinha 3 anos e foi passar férias na casa da vó. Caiu de cima do sofá de boca na mesa de centro. Tem um gordinho a mais no lábio inferior e uma cicatrizinha logo embaixo. Mas continua lindo igual! Risos. A gente faz nosso meninos perfeitinhos e a vida vai fazendo uma marquinha aqui e alí... fazer o quê, né?

Uine disse...

Meu deus do céu, pode-se dizer que esse caso é realmente uma tragédia cômica.
Enquanto você morre de preocupações, uma mãe a beira de um ataque de nervos.. ele tá lá, feliz e saltitante.
Eu nem preciso falar nada né? já tenho amor declarado pelo Montanha, sou suspeitissima!

E Ana, quanto a promessa de continuar lendo... Está mais que prometido!
Melhoras pro Montanha, e Paciência pra você né?!

Amarilis disse...

Ah, gostei demais do seu blog, está entre os meus favoritos. Bjinho.