quarta-feira, 16 de abril de 2008

Toy what?

O divertido de trabalhar com publicidade é isso: a gente acaba tendo contato com algumas coisas esquisitas antes das pessoas normais. A última moda (nem é tão “última" assim. Pelos meus cálculos, já tem mais de um ano) são uns monstrinhos caríssimos de plástico injetado que os adultos cool chamam de Toy-art.

Com isso, milhares de adultos cool no mundo inteiro estão voltando à primeira infância e enlouquecendo com seus “toys”.

Outro dia, chegou uma caixa para um amigo meu.

_ Uaaaau! Até que enfim! Eu não acredito! Tô até com taquicardia!
_ O que é? O que foi? É um iPhone? Um acelerador de partículas?

_ Não, Ana. É um bonequinho de Toy-Art que eu mandei trazer do Japão.
_ Puxa!... do Japão? Deve ser um estouro.
_ E é. Mal posso esperar para abrir.

_ Então abre, ué.

Ele abriu e eu fiquei ali, olhando, tentando entender que parte eu tinha perdido. A verdade é que desde a época em que eu fazia cinzeiros de argila na escola, eu não via uma coisa tão esquisita.

_ O que ele faz? _ perguntei, me esforçando para entender. Vai que o troço cozinha, cuida de crianças, faz Imposto de Renda...
_ Como assim?

_ O que ele faz? _ insisti. _ Ele dança, pisca, acende alguma luz, recita Shakespeare, tira a temperatura?
_ Não, Ana. É só assim mesmo.

_ Só assim?
_ É. Não é lindo?
_ E você mandou trazer “isso” do Japão?
_ Mandei.

_ Pra quê?

_ Porque eu coleciono, ué.
_ Você coleciona monstrinhos esquisitos de plástico? Mas você nem tem filhos...
_ Não é pra criança, Ana. É para adulto. E não é um monstro de plástico _ concluiu ele, magoado. _ É Toy-art!

A vida pode ser dura quando a gente entra precocemente na adolescência... Outro dia, saí para almoçar com outro amigo, perto do trabalho.

_ Você se incomoda se a gente der uma paradinha numa loja? É que eu soube que chegaram umas novidades...
_ Ok

Paramos e depois de uns dez minutos, acompanhei-o até o caixa. Na saída, perguntei:

_ Momentin, pra ver se eu processei a informação: você acaba de pagar SESSENTA reais por um troço de plástico de 5 cm que vem dentro de uma caixa que você não pode abrir?
_ É que eu coleciono, Ana.
_ Coleciona, mas não pode escolher?

_ É. São “blindboxes”.
_ “Blindboxes”; sei... E se você odiar? E se vier repetido?
_ Eu não vou odiar, mas se vier repetido, eu tento trocar com alguém.
_ Mas e se ninguém quiser trocar com você? E se o troço for feio de doer?
_ Ah, mas querem, sim. Há muitos encontros de colecionadores de Toy-Art por aí.
_ Sei... mas você não pode nem dar uma espiadinha na loja?

_ Hum-hum.
_ A moça não deixa?
_ Não é que não deixa, Ana. É que não é o espírito, entende?

Eu devo mesmo estar ficando velha.

_ Entrega pro seu Gastón!
_ Ele não trabalha mais aqui.
_ Mas é um brinde do IG pra ele.
_ Deixa comigo _ disse logo alguém, animado.
...
_ Gentennnn, que show, que maravilha, que sensacional! Era tudo o que eu queria!
_ O que é? Um cruzeiro de navio? Uma viagem de balão? _ perguntei, ansiosa. _ Porque se for, eu vou ligar djá pro Gastón e avisar.
_ Muito melhor que isso, Ana! Olha só.
_ Que horror! Que sacanagem! O que é isso, pelamor?
_ É o du_k, Ana, um Toy-art exclusivo. Ele é numerado e só existem mil iguais a ele. Mil no mundo inteiro! Ele vem com certificado de autenticidade e é disputadíssimo!
_ Disputadíssimo por quem?
_ Por todo mundo, Ana! Em que planeta você vive?
_ Acho que no planeta errado.
_ Ó: e nem adianta botar o olho grande em cima porque esse vai ficar pra mim, entendido?

Tendências...

12 comentários:

B. disse...

hahahahaha! Putz, ri muito dos seus comentários! Toy-art. Aham. Eu sou do tempo dos álbuns de figurinhas que vinham nos chicletes. Era mais em conta e se viesse repetida pelo menos eu comia o chilcete. "Ploc Monster", se não me engano. O último bonequim lembra - com um certo esforço - o abominável Cthulhu. Cthulhu é legal, pelo menos...

vivi disse...

Nossa...me alivia saber que vc também que É da área de publicidade, Ana, acha estranho certas coisas.
Estava me achando uma véia advogada careta. Ecat...
Então...que coisa mais estranha, não!? E por acaso, entregaram o troço pro Gastón? hehe. duvideodó...
bjs.

Virgínia disse...

Pura falta do que fazer... mas todo mundo quer porque virou "cult". Negociho feio! Se for para pagar caro que seja algo bonito, uma LV por exemplo! adhaudhuahudh Cada um com o briquedo que mais gosta, né?! ahduashdauhu

Luci disse...

ah, prefiro a minha parte em 'toy wine'... tinto!
que tal?!
esse povo é louco!
bj!

Adauto disse...

Como diria um certo personagem gaulês: esses colecionadores são todos uns loucos!

O que me lembro bem da infância eram meus carrinhos Matchbox. Mas hoje a criançada se diverte mesmo é com sua versão moderna, o tal de Hot Wheels - se bem que achei uma réplica do batmóvel da antiga série dos anos sessenta que não deixo nenhum dos petizes brincar de jeito nenhum!...

Alessandra disse...

Gente, onde encontro aquele vermelhinho que você mostrou ali no começo da matéria? Hahaha, perfeito. Adouro. Muito bom o texto. E os Toys também ;)

zhion|off disse...

É isso mesmo. É o ploc monster proporcional ao valor da nossa mesada que cresceu!

E sabe o Baseman, esse da caixinha que ilustra o post? Aham! Aham! Ele fez um desenho de canetinha imeeeenso que vai enfeitar a parede da minha casa nova. TEMDEMSIA.

Ana Téjo disse...

b.,
No meu tempo, vinham tatuagens nos chicletes. A gente lambia a mão, grudava o papel, tirava com cuidado e ficava com um borrão lindo e colorido pra exibir. Pena que saía na primeira ou segunda lavagem...

Vivi,
Publicidade é uma meio de vida, não uma seita. Pelo menos para mim. Eu vivo de escrever, sim, mas não uso anel no dedão, não tenho tatuagem e nem coleciono bichos esquisitos que custam uma fortuna.
Quanto ao Gastón, não. Ele não recebeu o monstrinho dele até hoje.

Ana Téjo disse...

Virginia,
Eu sou clássica. Prefiro economizar nos toys pra gastar em roupas. Assim, em vez de enfeitar a mesa, eu enfeito o corpo, né?

Luci,
Toy wine! Tô nessa. Uma garrafa pra mim também, por favor.

Ana Téjo disse...

Adauto,
Hoje, o negócio são os HotWheels, sim. Hotwheels e suas pistas radicais, penduradas na porta, passando por cima das mesas, com duplos twists carpados e por aí vai. Affff!

Alê,
Praça Villaboim. O Gastón te leva. Afff!

Ana Téjo disse...

Zizi,
Vc tem um Toy Art desenhado na parede na parede da sua casa??? E pagou por isso?
Sei não... tô achando que a titia Ana Téjo está precisando se aposentar...

Emília disse...

Toy-art, é? Estou mais do seu lado: prefiro outros brinquedos ;D