terça-feira, 30 de outubro de 2007

As coisas que a gente faz para (tentar) relaxar

Dia desses estive em minha terapeuta de shiatsu para mais uma tentativa de me livrar de uma torturante dor nas costas que tenta me pôr a nocaute há tempos. Segundo minhas queridas amigas que só querem o meu bem, é coisa de velho!

Pois bem. Eli é uma japinha pequena, socada e forte como um lutador de sumô. Com ela, aprendi que tenho pontos na omoplata que refletem na testa, pontos na batata da perna que refletem na coluna, pontos na planta do pé que refletem no abdômen e, o mais incrível: um bendito ponto na nuca que toda vez que ela aperta, eu tenho certeza absoluta de que meus olhos vão pular das órbitas. Ela diz que a culpa é da minha falta de sono. Eu digo que é maldade mesmo. Antes de iniciar a sessão, já sabendo da tortura que viria a seguir, disse:

_ Agora é aquela hora em que você tenta fazer meu olho pular, né?

Ela apenas ri, suave. Eu continuo:
_ É, Eli. Porque um dia desses, você vai conseguir e aí não vai poder dizer que eu não avisei. Quero só ver a sua cara me dizendo: ups, foi maus! Ó, seu olho pulou, mas passa lá no São Luiz que eles põem de volta rapidinho! Só que aí, pra não chegar atrasada no trabalho, eu vou levar o olho na bolsa pra recolocar outra hora, o olho vai perder o prazo de validade e eu serei obrigada a viver como um ciclope, por SUA culpa.

Ela ri novamente.
_ Você TEM que dormir, Ana.
_ Que hora? Que hora eu vou dormir, hein? Aaaiiii! Tá bom. Eu durmo. Mas você promete que não tenta arrancar meu olho hoje?
_ Riririri!
_ Aaaaaaiiiiiii! Pulou?
_ O quê? O olho, ué.
_ Não. Continua no lugar.
_ Engraçado, porque a dor foi tanta, que escureceu tudo.

Passado esse momento lancinante, ela tenta deslocar minhas omoplatas. Com convicção. Eu berro de dor e ela diz que é culpa do estresse. Estresse, nada! É culpa sua, que está aplicando a força de mil mamutes nas minhas costas.

Aí vem a hora de tentar desencaixar o braço do tronco. Ela puxa e gira bem na articulação com uma força hercúlea. Dói alucinadamente.

_ Eli...
_ Sim, Ana.
_ Tá grudado! O braço tá grudado no tronco!
(Risinho.)
_ Eu sei.
_ Então, por que você está tentando desgrudar, pôxa vida?
_ A culpa é do excesso de digitação.
(Ah! É mesmo. Tá bom.)

Não contente, ela torce meu corpo para um lado como se fosse um ésse e me manda respirar fundo. Eu sempre estremeço nessa hora porque, na seqüência, ela apóia uma mão no ombro e outra na bacia e dá um tranco. O objetivo do "tranco" é fazer todas as vértebras da coluna estalarem. Primeiro de um lado e depois do outro. Às vezes dá certo.

Quando ela faz essa mesma coisa na cabeça , é inesquecível porque eu vejo o filminho da minha vida passar toda vez.

_ E aí? Eu tô viva?
(Risinho suave.)
_ Claro que está, Ana.
_ Porque dessa vez, eu vi o filminho da minha vida com uma nitidez tremenda. Juro! Pensei que tivesse empacotado. Aliás, você já perdeu algum cliente aqui na mesa?
_ Ririririri!

O resto é moleza. Ela fica em pé em cima dos meus pés, na dobra dos joelhos e depois me manda sentar e me puxa MUITO para cima. Devo crescer uns 5 cm cada vez que vou lá. O que significa que, se mantiver a constância, dentro de seis meses vou estar com uns... três metros e vinte?

Saio de lá totalmente esquecida da dor na região lombar. Até porque, todo o resto dói tanto, que fica uma coisa assim, meio difusa, meio pulverizada.

O conceito deve ser esse. Com certeza.

9 comentários:

Anônimo disse...

Aiiiiiiiiiiiiiiiii...que INVEJA!!!!
Nosssa, isso é muito bom!!!!!
Adoro estalar tudo...
Fiquei aqui me contorcendo só de ler...

Sucesso!!!

bjus

Mary

ANNA disse...

Isso deve ser tudo de bom... Há anos eu tento achar uma massagista ou qualquer coisa do gênero que aplique força mesmo nos meus músculos e nervos... mas TODOS os que eu conheci até hoje não apertam nem fazem estalar o suficiente.
Beijo

Cassio disse...

Eu adoro estalar a coluna.

Da uma sensação de alivio.

Eu até respiro melhor.

Gastón disse...

Essa mulher é do BOPE.

"zero-meia, vou quebrar sua costela, zero meia".

MH disse...

ai, tô precisando de um tratamento de choque desses, pra tentar lembrar meu corpo ONDE exatamente as coisas deveriam estar encaixadas... tô tão torta que ele deve ter esquecido!

Codinome Beija-Flor disse...

AIIIIIIIIIIIII
Coloca o endereço dela pra gente.
Eu quero ir lá.
Assim ao menos vou saber de onde vem a minha dor.

Beijos

Emilia disse...

Ai, Ana, que tortura! Será que isso faz bem mesmo? Umm...vou acreditar que sim e fico esperando confirmação de seus três metros de altura rsrsrs.
Brande abraço, suave, para você. Desculpe não andar aparecendo para comentar.Seu espaço me encanta como sempre,meu tempo é que precisa ser esticado como sua coluna, rsrsrs.

Juliana Mattoni disse...

Gente, Sincronicidade de Jung !!!
Na última quinta, com mt dor no braço direito, resolvi ir ao shiatsu. Ela me convenceu de que o braço esquerdo era o problema e que este refletia no direito. Ela apertou o esquerdo num grau, que depois passei a sentir dor nos dois, mas a tal dor pulverizada.
Isso tudo ela fez com a pressão leve nos dedos...imagina a pressão forte...

Aline disse...

Quando eu fazia shiatsu, todo ponto que ele apertava e doía ele dizia: "Tem que beber mais água."

E tinha um movimento que ele fazia, que ele assumia o controle da minha respiração. Eu não respirava quando eu queria, mas quando ELE queria. Uma coisa assim meio Heroes. Vai ver ele era o avô do Hiro Nakamura que fugiu da companhia e foi parar no Brasil.

Desculpe o devaneio. Acho que eu tenho assistido "Heroes" demais...

Bjs.