quarta-feira, 25 de julho de 2007

Parental control

Ainda na semana passada a revista Veja trouxe uma matéria falando sobre os danos irreparáveis que o acesso irrestrito de crianças à internet pode causar. Os problemas iam de seqüestros e aliciamentos a abusos sexuais, passando por fraudes em cartões de crédito e outras barbaridades afins.

Some-se a isso, a quantidade de spams que qualquer pessoa dotada de e-mail recebe todos os dias. Eu recebo pelo menos uns 30, oferecendo ouro e relógios Rolex a preços baixíssimos, Viagra, Cialis, Valium, drogas milagrosas para aumentar o meu pênis (o meu???), unhas de porcelana e diplomas de pós graduação em três meses. Essas maldições penetram em nossas caixas postais por roubo (ou venda mesmo, pura e simplesmente) dos cadastros que preenchemos por aí e é virtualmente impossível livrar-se deles. Passei algum tempo bloqueando criteriosamente tudo o que entrava de indesejável, até começar a perceber que os mesmos e-mails vinham sempre de domínios diferentes. Domínios como @çfuhdsjfnd ou @zaofdsvsdjvd. Hoje, limito-me a deletar tudo diariamente, sem nem ler.

Assim, não foi sem certa surpresa, que essa semana recebi o seguinte e-mail:


Achei de uma responsabilidade incrível porque o site não só notifica os pais, como permite o acesso aos dados cadastrados, mesmo sem senha, para conferência.

Podem chamar de paranóia norte-americana, de máquina de consumismo desenfreada, do que quiserem, mas que a iniciativa da Disney é um exemplo a ser seguido, isso é.

16 comentários:

Cassio disse...

Isto é vúrus, provavelmente.

A Disney não manda emails assim

cassio disse...

Ana Tejo,

Corrija o "VURUS" para Vírus por favor :)

Ana disse...

Nossa, já ia elogiar o site, mas agora com o comentário do Cassio fiquei em dúvida...

Thales disse...

Não deve ser vírus não. Do site da Disney, achado aqui:

"Se for menor de 18 anos e se registrar conosco, seus pais ou responsáveis receberão um e-mail confirmando seu registro."

Cláudia disse...

Não é virus não, pq eles fizeram isso quando a minha Aninha Téjo tinha 11/12 anos de idade e se cadastrou no site: me mandaram uma comunicação do mesmo teor, pq ela tinha usado o meu email para se cadastrar.
Também achei o máximo e era uma época em que a gente nem tinha tantos virus assim pululando nas máquinas, nem tanto spam e ela nem mesmo usava msn.
Se não me engano, o site da Turma da Mônica fez algo parecido tb, mas já não lembro.
bj

vivi disse...

Nossa, se não for vírus - e parece que não é mesmo - uma salva de palmas à Disney Inc.: clap, clap, clap, clap!!!
Bjs.

Anna disse...

Bacana isso.
Sou contra crianças terem acesso não vigiado (pelos pais) à internet, e essa é uma boa notícia!
Apesar de que, os sites que eles não deveriam ver não mandam este tipo de notificação né? Putz, internet é algo tão bom, mas ao mesmo tempo tão perigoso pra criança né?
O jeito é ficar de olho!
Beijo

Ana Téjo disse...

Cassio,
Não é,não. Eu testei.

Ana,
Pode elogiar. É de verdade. Eu não publicaria sem checar antes.

Ana Téjo disse...

Thales,
É isso mesmo. Legal, né?

Clau,
Achei a iniciativa de uma responsabilidade incrível.
Agora, sabendo que eles fazem isso há tempos, acho ainda mais legal.

Ana Téjo disse...

Vivi,
Eles merecem.

Anna,
Definitivamente, os site que nós não aprovaríamos não mandam e-mail e, cá entre nós, acho praticamente impossível os pais exercerem um controle real sobre os acessos dos filhos.

Isabella Kantek disse...

No momento só posso dizer que acho isso tudo muito complicado. Complicado e triste.
Eu moro em NY e a minha filha vai para a escola apenas três dias por semana. Antes do semestre acabar recebi, junto dos outros pais, uma carta informando que um pedófilo havia se mudado para perto da escola e que portanto a gente deveria tomar bastante cuidado na hora do drop off e pick up. Fiquei super assustada. E depois soube que isso é bastante comum aqui. Digo, isso da polícia enviar um boletim informando à respeito da mudança de endereço de criminosos sexuais.
Eu mesma visitei um site que mostra se existem criminosos morando perto da sua residência, todos esses sites tem vínculos com a polícia e você pode até se cadastrar para mais detalhes. Eu não o fiz.
Infelizmente, hoje em dia, precisamos aprender a conviver com esse "novo" tipo de medo e insegurança. Sinto-me impotente como cidadã.

Beijos,

(o comentário ficou muito longo, me desculpe)

Rubina disse...

Pois é Ana. Sabe que ainda não tenho filhos, mas controlar o acesso deles à Internet deve ser difícil. Beijos

Ana Téjo disse...

Isabella,
O comentário ficou muito pertinente, isso sim. Que loucura, menina. Em casos assim, fico me perguntando se é melhor saber ou ficar na ignorância.

Rubina,
Acho, sinceramente, que é impossível.

Isabella Kantek disse...

Ana, eu também fico me perguntando se não é melhor ficar na ignorância. Como você diz, "que meleca!".

Cláudia disse...

Ante a dúvida sobre se é possível ou não controlar o acesso dos filhos à internet, eu digo: é impossível, a menos que vc fique sentada do lado deles o tempo inteiro, olhando pra tela.
Mas quando eles crescem um pouco mais e podem ir até a esquina sozinhos, por exemplo, entram numa lan house ou num cyber e pronto, burlada a vigilância.
É como no mundo real: aconselhar, conversar, explicar, e sobretudo, REZAR E TORCER PRA DAR TUDO CERTO.
beijo

Ana Téjo disse...

Isabella,
Porque isso que você contou, embora seja para transmitir segurança, deve dar uma insegurança danada.
Ah, menina. Não queria estar no seu lugar. Às vezes, nem no meu!
Beijo!

Clau,
E a gente reza, né? Afff, como reza!