quinta-feira, 26 de julho de 2007

Quem se importa?

Aí, eu gosto de um shampoo americano que não tem pra vender aqui. Nada demais. É só um produto que funciona com o meu cabelo. Como não havia ninguém indo viajar nos próximos dois meses e minha irmã se recusou a deixar meu cunhado entrar sozinho na loja de lingerie pra comprar meu shampoo, acessei o site e aproveitei a oferta de sete dólares por frasco. Sete dólares, torcida brasileira. Estamos falando aqui em pouco menos de quatorze reais. Nada opulento, nada absurdo. Comprei logo dois shampoos e dois condicionadores. Mais o frete, a conta ficou em US$ 48,95, com prazo de entrega para até três semanas, via UPS.

Semana passada, me liga um mocinho da UPS.

_ Dona Ana Téjo?
_ A própria.
_ Sua encomenda chegou.
_ É mesmo? Que maravilha! Foi rápido, hein? Mas... por que é mesmo que você está me ligando?
_ Porque a mercadoria foi apreendida pela Anvisa.
_ O quê? Por quê?
_ Porque todos os medicamentos ou cosméticos importados podem ser retidos pela Anvisa.
_ Sei. E agora?
_ Agora, a senhora precisa liberar a mercadoria.
_ Eu?
_ É. Eu preciso que a senhora preencha dois formulários de declaração de uso e finalidade, um termo de responsabilidade de produtos de não anuência, assine tudo em duas vias, reconheça firma, junte duas cópias do seu CPF e imprima quatro vias de um Guia de Recolhimento da União com pagamento igual a zero para mandar para o nosso despachante em Viracopos.
_ Cuméquié?
_ Eu vou mandar um Power Point para a senhora com o procedimento, tá?
_ Peraí. Só uma coisinha: me explica de novo a parte do GRU em quatro vias com valor igual a zero.
_ É que a senhora Precisa entrar no site da Anvisa/Receit Federal (https://consulta.tesouro.fazenda.gov.br/gru/gru_simples.asp#ug), preencher o GRU com todos os códigos e, no campo do valor, colocar igual a R$ 0,00.
_ Sei... igual a zero?
_ É.
_ E aí eu faço o quê? Vou ao banco, pego fila, quando chegar no caixa dou o papel, ele recebe zero reais, faz a autenticação mecânica e eu mando pra vocês? É isso?
_ Não. A senhora não precisa pagar.
_ E nem poderia, né? Como é que eu vou pagar um GRU igual a “zero”?

Recapitulando, apenas para posicionar: são dois shampoos. Do tipo que a gente passa no cabelo na hora do banho, faz espuma e depois enxágua. Não são psicotrópicos, nem componentes para fazer bombas caseiras, nem Antrax, nem remédios para impotência. Shampoo, pura e simplesmente.

Chegou o tal do Power Point. No total, deveriam ser enviadas nada menos que dez páginas de documentos e termos onde eu precisaria indicar coisas como a finalidade a que se destina a importação; endereço do local de armazenagem da mercadoria fora do recinto alfandegado; o nome comercial e nome do princípio ativo, bem como a assinatura, CPF e CRF ou CRM do responsável técnico.

Comecei a ler aquilo e a rir de nervoso. Comassim “a que finalidade se destina a importação”? A finalidade da importação é lavagem e o condicionamento dos meus cabelos. Pra usar no banho, sabe? Debaixo d’água?

E em “endereço do local de armazenagem da mercadoria fora do recinto alfandegado”, o que eu devo responder? No meu banheiro? No box lá de casa? Francamente...

Finalmente, onde é que eu vou arrumar um “responsável técnico” para assinar uma guia de liberação da “mercadoria”? Tem algum engenheiro químico aí pra me acudir? Algum farmacêutico desempregado?

Como eu sou teimosa e dou um boi pra não comprar uma briga, mas todo o rebanho de Goiás para não sair, preenchi tudo com ódio, pedi à minha santa mãe que fosse ao cartório reconhecer firma e mandei a palhaçada para Viracopos. Ah, carta registrada, certo?

Hoje liguei para a UPS. Três dias úteis para liberar, um dia útil para buscar e outro dia útil para entregar. Ah, e entre os dias da busca e da entrega, a UPS boazinha vai me fazer o favor de pagar TODOS os impostos de importação que eu deverei restituir contra a entrega.

_ Peraí! Impostos? Que impostos?
_ Ah, todas as nossas encomendas sofrem tarifação de importação. A sra. vai pagar 60% disso, 15% daquilo, 12,3% daquilo outro...
_ Sei. E quanto é que isso dá?
_ Quase 100% do valor importado, senhora.
_ Mas estamos falando aqui de quatro itens de sete dólares cada!!!! SETE dólares!
_ Sim, senhora. O que dá uma tarifação de cerca de vinte e cinco dólares que senhora terá que pagar para receber a mercadoria.

Meleca, viu? Depois tem gente que tem a cara-de-pau de dizer que não entende porque contrabando funciona.

31 comentários:

Cassio disse...

Sem comentários...

MH disse...

Pois é.

Um dia, morando fora, comprei o vídeo (faz tempo) do Moulin Rouge pra mandar pra minha irmã de presente. Comprei na amazon.com. Mandei entregar. Ela recebeu um telegrama, para comparecer à agência dos correios aqui do bairro, e pagou quase 100% do valor do PRESENTE em impostos, para poder levar a fita pra casa. Quase um cavalo de tróia...

Rodolfo Barreto disse...

Você não leu aquelas letrinhas miúdas na embalagem. Lá dizia: este shampoo deixa seus cabelos brancos.

Anônimo disse...

Pois é, Ana, eu ia te sugerir um contrabando básico mesmo...

Esses shampoos são da Victoria's Secret, não são? Se forem, vc pode comprar pelo Mercado Livre. Vc paga em reais, sem burocracia e entregam em casa pelo correio.

Boa sorte!
Bjs,
Krys.

Anônimo disse...

mh,

Eu já trabalhei na DHL e às vezes, dava uma pena... A pessoa enviava um presente com o maior carinho e quando chegava aqui, o presenteado não tinha dinheiro para receber...

Krys

Que pais é este? disse...

Ana Tejo - tive uma experiência similar, exceto que não foi nada adquirido pela Internet, aliás, nem comprado foi. O que me refiro, foi trazido comigo, porem como bagagem desacompanhada, não somente devido ao tamanho. Depois de 15 horas de viagem, quiseram me empurrar um despachante para o desembaraço da “mercadoria” e, como não aceito esse tipo de coisa, ameacei denunciar a corja e disse que eu mesmo faria os trâmites.Como sou como você em pagar para não sair de uma briga, e, dada a importância da coisa ao menos para mim, acionei até o Ministério das Relações Exteriores, através de uma amiga, que mora no país de onde eu vinha, para me livrar dos ladrões-de-plantão. Ainda assim, passei pessoalmente por toda a epopéia de preenchimento de guias com os acrônimos mais inimagináveis, de declarações para a receita federal, de impostos de importação, de fretes, de armazenagem e sim, da mesma vigilância sanitária (ANVISA). Tudo com valores ZERADOS. Só não deixei o que me pertencia lá, pois tinha um enorme valor, ainda que só para mim. Também, por também não poder comprar outro em nenhum lugar. Ah sim, o que era? Não, não era um capô de carro e nem uma asa delta ultimo modelo e tão somente o corpo embalsamado de um familiar direto.

Que pais é este? disse...

Ana - desculpe haver me prolongado mas ainda poupei o blog de toda a indignação, a revolta e sobretudo, a dor que sentí.

Renata disse...

ai, que absurdo! patético...

acho que o negócio é vc se conformar com um bom pantene mesmo...rs

Bjos.

Ana disse...

Ridículo. Meu pai foi viajar e pedi para o meu pai um creme de uma marca de lingerie tb, que lá custou 4 dólares. 4 dolares. E aqui é vendida a quase 70 reais.
O negócio é ficar procurando alguém que viaja, e fazer estoque. :P

Que pais é este? disse...

Ana - também, como a Kyrs sugeriu, pode comprar no Mercado Livre, ou mesmo pedir ao namorado ou outra pessoa que compre no livre mercado da Avenida Paulista... rss

vivi disse...

Ana, faça como o Krys sugeriu.
No mercado livre, vale tanto a pena quanto importar.
Só que não tem nota....sabe?!
bjs.

Morg disse...

caracoles não tô acreditando nisso!

aliás acredito sim!

quando marido for pra lá eu te aviso e peço pra ele trazer pra vc tá

beijo

estou em endereço novo ;)

Isabella Kantek disse...

Ai que droga! Sem comentários.

Cláudia disse...

A vó da gente lavava com sabão de coco e não tinha essas preocupações. Até porque, tinha de guardar energia para desembaraçar o ninho de mafagafos que ficava a cabeleira sem condicionador/creme rinse!!!
beijo

Anna disse...

Resumindo... Putz sacanagem!!!
Beijo

i...a disse...

Quem te apresentou o shampoo, hein ? Hein ? Hein ?

i...a disse...

Mas comprar (e trocar) o seu iPod e depois a bateria da máquina ele foi, né ?!?!?!

Ana Téjo disse...

Cassio,
Nem precisa.

MH,
Pelo menos nisso, acho que alguma coisa melhorou. Livros, CDs e DVDs são isentos de impostos. Eu já trouxe vários pela Amazon, inclusive, e nunca paguei nada.

Ana Téjo disse...

Rods,
Esse shampoo provoca calvície. Se tentar importá-lo, é capaz de você querer arrancar os cabelos.

Krys,
Da próxima vez, já sei.
Burrice a gente tentar fazer as coisas direito nesse país, né?

Ana Téjo disse...

Krys de novo,
E uma vergonha. Um absurdo.

Que país é esse?,
Que história arrepiante! É sórdido saber que tem gente que se aproveita de um momento de perda e dor para arrancar mais uns trocados. Que vergonha.
E sinta-se à vontade para comentar sempre que quiser e do tamanho que for, com ou sem dor, indignação e revolta.

Ana Téjo disse...

Rê,
Vou usar sabão de coco.

Ana,
O pior é que com essa barbaridade nos aeroportos, nem viajar a gente tá conseguindo.

Ana Téjo disse...

Que país é esse,
O namorado! Boa! Será que tem? Vou pedir. Eba!

Vivi,
Se minha advogada está dizendo que pode, vou aderir.

Ana Téjo disse...

Morg,
Eba! E você não vai se incomodar dele entrar numa loja de lingerie pra comprar shampoo pra uma amiga virtual sua???!!! Que tal você conversar com a minha irmã?
Vou te visitar!

Isabella,
Dá uma raiva!

Ana Téjo disse...

Clau,
Eu tenho cabelo fino e pouco. Vou tentar Minerva Coco que é mais parecido com shampoo. Depois eu conto.

Anna,
Né?

Ana Téjo disse...

Atenção leitores do Pensatriz:

QUEM ME APRESENTOU O SHAMPOO FOI A MINHA IRMÃ. A MESMA QUE SE RECUSOU A ME DAR REPOSIÇÕES DEPOIS QUE SOUBE QUE EU ADOREI.

Aliás, em caráter exclusivo, publico aqui a íntegra do e-mail que recebi dela hoje pela manhã. Vejam que fofa:

"Tu és pastel mesmo, hein?! Quem mandou dar uma de gaiata e querer comprar o shampoo que EU te apresentei sem a minha autorização???

E o que eu te trouxe em Março, você tá bebendo? Já acabou? Agora não tem jeito, mas eu ia dizer para você não comprar o condicionador que é meio fedido.

Quando for o seu marido, você manda ele na loja de lingerie.

Tem que se informar sobre II (imposto de importação e outros bichos), "macaquinha em loja de louça", não adianta você achar que mora nos EUA e compra tudo fácil pela internet, clicar no “buy” e sair importando na doida...

Livro não tem imposto, pode até comprar um container, só não dá pra lavar o cabeção!!!

imã."

carlinha disse...

irmãs sempre se pegando!

Kryscia disse...

Ana,
Fala para a sua irmã que só pode importar livro sem pagar imposto se for para consumo próprio. Livrarias (porque compram para revender) pagam um imposto bem salgadinho também, ou seja, não pode "comprar até um container". rs
Krys

Sofia disse...

Ana,
Quase morri de rir com a sua história, mas sei que não é exagero.
O que me deixa muito aborrecida é que esse pessoal que anuncia no Mercado Livre certamente não passou por nada disso. Contrabando geral!!
A boa notícia é que os shampoos e condicionadores dessa marca agora já estão sendo vendidos legalmente no Brasil em uma loja para lá de confiável (que passou por toda essa via crucis de pagamento de impostos e anuências da Anvisa).
Se você tiver interessada, me procure lá no blog que eu te dou o endereço em SP.
Abraços,

angela disse...

ai Krys, vc tb trabalhou na DHL, aff mil vezes, eu cansei de ouvir isso todos os dias, e realmente dava dó de explicar pros clientes q esse absurdo total é a lei brasileira!!qdo escuto q alguém comprou alguma coisa prá vir pela dhl/ups/fedex e afins, me dá até arrepios, afffffff..............mas a receita tá uma m.... mesmo, pq eu comprei papel prá scrapbooking, só papel mesmo, e minha cx ficou parada 3 meses, eu arrancando os canelos pq a m... da loja lá dos eua tb não tava nem aí prá mim, aff...o negócio é mesmo arrumar algum contrabandista viu...

Ana Téjo disse...

Carlinha,
Que nada! A gente se adora! Não trocaria a minha irmã por ninguém neste mundo.

Kryscia,
Vou dar o recado. Vai ser uma decepção porque ambas adoramos livros.

Ana Téjo disse...

Sofia,
Juro pelo meu filho, Montanha, que não há um pingo de exagero na história.
Bom saber que já dá pra comprar meu shampoozinho por aqui, na legalidade e sem essas barbaridades burocráticas. Vou lá no seu blog voando pegar o endereço.

Angela,
Absurdo total. A gente sofre desse jeito só porque quer fazer as coisas direito. Credo, viu?