sexta-feira, 13 de julho de 2007

Problema de tamanho

Estava aqui pensando... você sabe seu tamanho, não sabe? Por tamanho, nesse caso específico, refiro-me ao espaço que seu corpo ocupa dentro de uma peça de roupa. Explico melhor: quando vai a uma loja, você sabe exatamente se precisa de uma calça 40 ou de uma 42, não é? E sabe se sua blusa precisa ser P, M, G ou GG. E mesmo quando muda de loja, você provavelmente sabe que “aqui, eu sou G”.

Considerando isso tudo, tem coisa mais irritante do que pedir à vendedora que traga a calça vermelha de veludo, tamanho 40 e ficar tiritando de frio sob a luz inclemente do provador enquanto espera, só para ouvir um: “Olha, 40 não tem, mas eu trouxe uma 36 e uma 44. Por que você não prova?”

Ora, sua anta, não provo por um motivo muito simples: eu NÃO SOU 36 e muito menos 44. Se eu pedi uma 40, as chances de eu caber numa 36 ou numa 44 são virtualmente zero! Vou me sentir uma baleia dentro da 36 e poderei colocar um filho ou dois comigo dentro da 44. Dãããns...

Mais uma dúvida, só para corroborar minha tese: existe alguma chance de você comprar aquele liiiindo casaquinho de pelúcia azul royal tamanho PP se TODAS as peças do seu armário são M? Não, né? Até porque, suas costelas não vão estreitar só porque você tem uma festa. E, não. Você não vai caber no PP nem que passe a noite inteira sem respirar.

Sendo assim, por que você, consumidor, deve ser confrontado à força com todas as peças de tamanhos que não são o seu quando vai fazer compras? De que adianta saber da existência daquele blazer lindo, que JAMAIS abarcará seu corpanzil?

A pergunta é simples: por que, nas lojas, as peças não são arrumadas por tamanho? Por que, em nome de Deus, as calças M não ficam junto com as blusas M, e as saias M, e os vestidos M? Não seria muito mais racional?

“E quando eu quiser comprar um presente para outra pessoa?”, perguntará você. Aí, meu caro, vá até a sessão do tamanho da pessoa e mande bala!

Estou há algum tempo pensando nisso, não sem certo incômodo. Aí, dia desses, vagando por aqui, além de encontrar alguém com o mesmo conflito, explicitado de forma muito mais razoável, acho que achei a resposta: as roupas que você compra são organizadas por modelo, por estampa e por cor e não por tamanho porque o objetivo é facilitar a vida do lojista e não a do consumidor!

A resposta trouxe mais uma pergunta: oh, raios... mas não é o consumidor quem consome, efetivamente? E o objetivo do lojista não é vender? E não haveria um incremento nas vendas se as mercadorias fossem organizadas de forma mais sensata? Então, por que não muda? Eu, hein...

25 comentários:

Re disse...

Ana, tirou as palavras da minha boca... porque alguém te traz um número a menos ou mais do que você veste? Para mostras eficiência? Ou para dizer que se você fosse mais magra podia levar a calça.... Dai-nos paciência!

angela disse...

por isso q amo aquela loja de sapatos onde são todos separados pelo número..vc já bate o olho, vê que não tem o q vc quer, e vai embora, ao invés de ficar sentada horas, pro vendedor trazer uma pilha gigante de sapatos todos diferentes daquele q vc pediu, affff

Cláudia disse...

Ana
como dona de confecção, toda vez que peço pra alguém fazer uma peça pra mim, peço pra colocar etiqueta PP - só assim pra eu ser PP na vida.
Também detesto isso. uma coisa é te trazer uma cor diferente, outra é o tamanho. E quando é sapato entao? Pior ainda!
beijo

em tempo: calça de veludo vermelho? tá podendo, hein, amiga?!

Ana disse...

Ana,
odeio isso tb. Odeio tanto quanto os vendedores de sapatos que, na falta do modelo que você pediu, trazem mais três ou quatro pares (as vezes nem um pouco parecidos com aquele) dizendo: Olha, o preto 37 não tinha, mas trouxe o bege 36, veja se você gosta. :P

Adauto disse...

So, all the shoes in the world are smaller then forty four...

É sério. Não tem uma vez em que eu não resolva comprar algum tipo de calçado (o que por si só já é um evento raro) que não venha o vendedor com uma meia dúzia de pares, dizendo: "Olha, esse aqui é 43 - mas a forma é grande!"

Sem trocadilhos: sempre saio pisando duro da loja...

Cassio disse...

Não sou especialista em lojas de shopping mas tenho um técnica.

Vou na mesma loja duas vezes e pego vendedoras(es) diferentes.
As vezes consigo achar o que quero :)

Outra coisa. Lembrei da sua empregada com a arrumação de livros na estante. Ficou bonita também :)

PS: Sei que você implica com quem repara na sua fase implicante. Por isto não vou comentar sobre sua fase implicante :)

Mulher Solteira disse...

Ana,

eu não sei se sou uma vítima do consumismo ou das vendedoras loucas, mas não foram nem duas nem três vezes que comprei uma blusa curta demais, uma calça larga ou um blazer apertado porque cismei que queria aquela roupa.

E no fim das contas as mais largas você acaba usando em algum outro momento da sua vida. As mais curtas, tenta combinar com uma calça com cintura mais alta. O blazer é que é foda... usar casaco apertado é o ó. Mas não vou negar que ele foi bastante usado...

Me diagnostica? =/

Renata disse...

Essa é uma das coisas que mais me irrita! Eu já falei sobre esse assunto, mas em relação a sapatos, lá no meu blog. Lembra?
Abuso maior ainda é quando vc pede o número X e a vendedora fala que não vai servir e ainda afirma que vai trazer x+2....argh!!!!!!
Mas sabe coisa ainda pior que eu já passei? Uma vez, fui comprar um presente pra minha irmã. Olhei as araras, escolhi, virei pra vendedora e perguntei se tinha aquele modelo no tamanh0 42. A imbecil vira pra mim, que sou gordinha, como vc sabe, e fala:

- Nossa, mas o 42 não vai te servir! Aliás, nada aqui vai te servir...

Vc tem noção, Ana? Falei tanta merda pra ela, mas tanta, que a imbecil entrou pros fundos da loja chorando. Preconceituosa e precipitada, a débil....

Ótimo post, viu?

Bjos.

Segredos da Esfinge disse...

Ana,
Mas tem outra coisa pior ainda.
No meu caso eu tenho calças que vão do 42 ao 46, tudo porque ninguém lembra dos quadris largos / cintura fina (meu caso) e as cinturas nunca passam pelo meus quadris, o jeito é comprar sempre um número maior, e correr pra mim mãe dar um jeito pra mim, ou seja, quando alguém me pergunta que número eu uso, nunca sei o que responder.

Rodolfo Barreto disse...

O meu ponto de vista é o seguinte:
se você separa os números, as gordas desse mundo vão ter vergonha de ir até a área separada pra elas. Misturando, você constrange menos.

MH disse...

Quando ainda tinha Viva Vida no shopping Higienópolis, era assim. Separado por tamanho, facinho, facinho...
mas a loja fechou. Será que o motivo foi esse?

Ana Téjo disse...

Rê,
Acho que porque são comissionadas e têm que tentar de TUDO pra vender. Só que não dá certo, né?

Angela,
Também sou fã de lojas de sapatos assim. Só que comigo o efeito é o contrário. Em vez de "ver que não tem nada e ir embora rapidinho", eu fico super à vontade e acho um monte de coisa que é a minha cara!

Ana Téjo disse...

Clau,
Adorei a tática da etiqueta! Também vou pedir emprestadas as etiquetas de uma prima etíope só pra ter o gostinho de entrar num jeans 36 uma vez na vida!
Vendedora trazendo sapato de tamanho menor (ou maior), dizendo que a forma é "pequena", é ridículo.

Ana,
É por essas e por outras que já há alguns anos, eu compro 99% dos meus sapatos em lojas "self-service".

Ana Téjo disse...

Adauto,
Isso, porque você é homem e imagino que o mais longe que vá em termos de ousadia seja num par de mocassins bege. Imagina se você fosse mulher e precisasse "mais que tudo" de um par de sapatilhas vermelhas ou de um chanelzinho verde-musgo? Aí, você ia ver o que é sofrimento...

Cassio,
Entrar duas vezes na mesma loja e falar com duas vendeodras diferentes só pra tentar comprar o que precisa? Só se for em outra vida.
Não entendi o comentário da empregada. Você arrumou uma nova?
E pára de implicar comigo! Que homem implicante, sô!

Ana Téjo disse...

Mulher,
Você não é vítima de ninguém, apenas do fato de ser mulher, ué!
É o exemplo do casaquinho de pelúcia royal que você TEM que ter.
Acho que roupa fora do tamanho, a gente não usa nunca. É uma doideira comprar roupa menor JURANDO que vai emagrecer (porque a gente não emagrece). No caso das roupas maiores, se um dia, de repente, elas passam a servir, a gente quer se matar.

Rê,
Que história chata, menina. E que falta de sensibilidade dessa vendedora, hein?

Ana Téjo disse...

Esfinge,
No seu caso, minha teoria de arrumar por tamanho não daria certo. Ou daria?

Rods,
Será?

Ana Téjo disse...

MH,
Puxa! E você só me avisa agora???

vivi disse...

Por isso que eu adoro as lojas onde eu mesma pego, vou, provo e desprovo...
E não tem vendedora nenhuma pra querer 'ver se ficou bonito'. Isso também é o Ó, não?!

Mas eu, como a Esfinge, tb tenho o problema dos quadris e cintura. Que saco, viu. E, infelizmente, a numeração varia mesmo de 40 a 42 em determinadas lojas...
Ai, ai, ai...
Só compro mesmo qdo estou inspirada. Pq dá um certo trabalho, viu...
bjs

Anna disse...

Tem vendedor que dá vontade de matar. Já deixei de comprar algumas coisas das quais eu gostei só por causa do vendedor.
Mas no meu caso, até vale a história de trazer outros tamanhos, pois tenho roupas de 3 numerações diferentes no meu armário.
PS: desnecessário citar a numeração aqui né? Senão vc vai achar que eu não tenho tamanho de gente...
Beijo

Ana Téjo disse...

Vivi,
Já eu, padeço de outro tipo de problema igualmente sério: inspirada ou não, tenho que ficar longe de vitrines e provadores. Senão...

Anna,
Tá bom, tá bom. Eu não conto pra ninguém que você não pode nem doar sangue porque não tem PESO!!! Humpf!

Anna disse...

E sabe o que é pior? As pessoas acham que eu me orgulho disso... Ledo engano. Adoraria ter um corpão, pra no mínimo manequim 40!
Mas tá difícil de eu chegar lá...
Beijo

mc disse...

Sabe que acho que concordo com o Rods? Faz sentido... Mas que é enlouquecedor, isso é. Raramente gente como a gente se convence por uma vendedora desse tipo. Ela tem que ter muuuuito talento.

Ana Téjo disse...

Anna,
Thin is beautiful!
Eu conheço centenas de mulheres que trocariam de lugar com você mil vezes, se pudessem.

MC,
Será? Não sei. Acho que maturidade é assumir o próprio corpo. Numa sapataria self service você vai na sala que tem sapatos do seu número, não vai? Ou compra apertado porque tem vergonha? Eu, dependendo do sapato, compro até um número maior. E nem ligo.

Mulher Solteira disse...

Realmente comprar calça apertada é assinar atestado de burrice (ou de ingenuidade, ou de negação). Já fiz isso algumas vezes, acho que aprendi a lição. Em geral compro algumas largas demais, e infelizmente dali a um tempo elas ficam boas.
O meu problema maior, na verdade, é com o comprimento das calças e das mangas das blusas. Você já testemunhou o tamanho da criança, né? Com 1,79 m a gente nem sempre tem muita noção do que cabe e do que não cabe na gente, hehehehehehe...

Ana Téjo disse...

Cris,
Acho que mais do que burrice ou ingenuidade, é negação mesmo. Negação pura e simples.
E, sim, eu imagino que deva haver alguns revezes, mas conheço uma dúzia de mulheres que dariam um dedo para serem compridas e esguias como você.