segunda-feira, 26 de março de 2007

Tão linda!

_ Mamãe, você está tãããão linda!

(Ah, que coisa doce para uma mulher ouvir de um homem em uma segunda-feira às sete da manhã. Mesmo que ele tenha cinco anos de idade).

_ Ah. Meu amorzinho, obrigada. Você ilumina meus dias. Agora, tome seu café da manhã, que a mamãe vai levar a sua irmã na escola e já volta pra te buscar, tá?
_ Mas você vai levar ela “assim”?
_ Assim como, filho?
_ Com “essa” roupa?
_ Mas você não acabou de dizer que eu estou “tãããão linda”?
_ Linda de camisola, né, mamãe?
_ Mas isso não é camisola, filho. É um vestido de linho, forrado, cru, de modelagem suficientemente ajustada para deixar claro que a sua mãe não é um bagulho, mas não o bastante para transmitir qualquer traço de vulgaridade.
_ Mas parece camisola...
_ Mas não é filho! E a mamãe está de colar, olha só! E de sapatos altos!
_ Então você dormiu de vestido?
_ Não, moleque! Que idéia é essa? Até passei o vestido a ferro hoje cedo para não ficar amassado. Isso é linho, menino. Li-nho, entendeu? E linho amassa!
_ Kkkkkkk!
_ Por que você está rindo?
_ Por que você vai sair de camisola e colar!

15 comentários:

Andorinha... disse...

Hehehe.
Fui gostando do crescente dos adjetivos do Montanha: começamos com homem gentil e lindo de 5 anos e terminou em 'moleque'! hehe.
Beijos, Ana.
Boa semana!
PS: Creio eu que a explicação não adiantou. Faz parte do gene...Y

Gastón disse...

Hahahaha, lá vem esse rapazinho com as tiradas dele.

Já falei que com um filho desses é covardia. Dava pra fazer um blog "As aventuras do Montanha"

beijos (e cade você que não chegou ainda?)

mc disse...

Montanha, Tarzan, são tantos apelidos másculos que eu to ficando confusa!!!

Mas ok, homens não entendem nada de mofa feminina. Mesmo aos 5 anos de idade!

MH disse...

Nossa, concordo com o gastón. Com esse guri por perto, sempre acontecem situações memoráveis!
E aí, conseguiu sair linda de camisola e colar apesar de tudo?

beijo

Re disse...

Que delícia!! Ser criança!

Cláudia disse...

Ana
o seu ainda era um vestido né? Com pedigree de vestido.
E eu que um dia comprei uma camisola de tecido de artesanato cru, com barrado de crochê, e achei tão lindinha que resolvi usar de vestido?
Saí com ela toda me achando hippie chique e ouvi de pelo menos duas pessoas, uma delas a dentista da minha filha:
- que gracinha de vestido, parece uma camisolinha!
Da próxima vc diz pra ele que é uma camisolinha sim!
beijo

Ana disse...

Ah, como é bom ser criança... ainda tem discernimento sobre o que é camisola ou não. :D
(brincadeirinha, brincadeirinha...)

Ana Téjo disse...

Vivi,
Cada cromossomo tem o tratamento que merece, não é?
Se me chama de "tããão linda", a conversa é uma. Se diz que eu vou sair de camisola, a coisa muda de figura.
Boa semana também.

Gastón,
Acho que prefiro "As Desventuras da Mãe do Montanha".
Não cheguei??? Eu já cheguei, já saí e já estou quase pensando em chegar novamente. Humpf!

Ana Téjo disse...

MC,
É tudo o mesmo homenzarrão. Só muda a forma de tratamento.
E, não. Definitivamente, não entendem.

MH,
Tô aqui, firmona, de camisola, colar e salto alto!

Ana Téjo disse...

Rê,
Né?

Clau,
Mas não era! Ou melhor, não é! Ou melhor... já estou pensando até em dormir com ele uma noite dessas. Depois eu conto.
Mas juro que comprei como vestido, paguei preço de vestido, em loja de vestido.
E eu estou tanto para hippie chic, quanto o Clóvis Bornay para terno risca-de-giz, né não?

Ana Téjo disse...

Ana,
Acho que vou voltar pra casa e me trocar... estou começando a ficar complexada...

Mary disse...

kkkkkkkkkkkk
Que menino terrivel, hein!!???
beijos

Ana Téjo disse...

Mary,
Não é?

Emilia disse...

Ahh, esse moleque aí eu (re) conheço!

Ana Téjo disse...

Emília,
Não é? Ele já é muito mais famoso que a mamãe. Daqui a pouco, vai estar dando autógrafos na escolinha...