quinta-feira, 5 de abril de 2007

No meio do caminho havia uma cadeira...

O lugar onde eu trabalho é charmoso, meu computador é novo, minha mesa é ampla e minha cadeira é confortável. Só que ela fica na passagem. Por mais que eu puxe a danada para perto da mesa, continua meio na passagem. E como algumas pessoas parecem não ter noção dos limites do próprio corpo, levo cutucões o dia inteiro. E ninguém NUNCA parece perceber. Nunca, nem por uma vez, viraram para falar,"pô, Ana, desculpa aí, foi mal!"

Um dia, vou me rebelar. Um dia, hei de me levantar, pegar o distraído pelo pescoço, dar um ippon nele e gritar, docemente:
_ Você não notou que esbarrou na minha cadeira, caramba? Não deu pra perceber que me deu um teco daqueles? Que quase me derruba em cima do teclado?

Meleca, viu? Ainda bem que eu sou essa pessoinha doce e bem humorada...

15 comentários:

MH disse...

Já escrevi e admito: sou uma dessas pessoas sem noção dos limites do próprio corpo. Mas SEMPRE peço desculpas. Até pra pé de mesa já pedi, achando que era pé de amigo. É o mínimo, né? O mundo não tem culpa da falta de coordenação dos outros...

beijo!

Ana Téjo disse...

MH,
Pedir desculpas de vez em quando já é um excelente começo. Um excelente começo, meio e fim, eu diria até...

Andorinha... disse...

Ainda bem, né, Ana...que vc é doce, MEIGA e bem humorada. rs.
Beijinhos!

Claudia Aleixo disse...

Eu tb faço parte da turma que esbarra nos outros....rsrs..Até minha cachorrinha sofre.Vivo pisando na pata dela...rsrs..a pobre sai gritando...caincaincain. Tb faço coleção de ematomas, de tanto esbarrar, ou melhor, bater em tudo que vem pela frente. Ainda bem que não trabalho com vc, Ana, seria a primeira a ser pega pelo pescoço...(mas eu peço desculpa, viu?!)
Beijos

Ana Téjo disse...

Vivi,
Principalmente "meiga", que eu adoro!

Claudia,
Então, está desculpada! (Salvou seu pescoço, hein?)

Cassio disse...

Tenho algumas idéias:

1-) Faça um cartaz, com papel mesmo, escrito "Tinta Fresca" (sem trocadilho com "Ana Fresca") e cole nas costas da cadeira.

2-)Feche a passagem com uma planta tipo samambaia.

3-) Faça um cartaz escrito "interditado", "DESVIO" ou etc....

Quem sabe resolva o problema :)

Anônimo disse...

Ana, esse negocio de pedir desculpas, obrigada, bom dia...são privilégios de alguns só...
Acho q teve gente q NUNCA se quer pensou numa dessas palavras...
Vc quer passar raiva e pegar um busao lotado e levar nao só um ou outro peteleco ou coisa parecida...
As pessoas pisam no seu pé, e ali ficam...pois tah confortável...Se vc, a vitima, nao tira, ele nem se toca...e mesmo com vc pedindo para ele sair de cima do seu pé lindo, ele só afasta...e nem olha na sua fuça, acredita???

Esse mundo tah demais...
Confesso q as vezes, qdo acontece isso, faço o mesmo...Não peço educadamente para tirar o pé de cima do meu...e sim dou logo um empurrão, faço logo cara de maguila e pronto!!!!Viro a cara tbm...atomanucu!!!!!

beijosssssssssss

Nana

Ana Téjo disse...

Cassio,
Vem pra cá pra você ver como é frescura!
Prefiro a idéia do desvio ou a da samabaia.

Mary,
Você?! Fazendo cara de Maguila? Ah, essa eu juro que queria ver!

Anônimo disse...

Às vezes eu me sinto um peixe fora d'água. Eu tenho o hábito de falar "bom dia", "por favor", "desculpa", "obrigada" o tempo todo e para todo mundo, em alguns ambientes é tão raro vc ouvir alguém falando isso que eu tenho a impressão que eu estou falando demais esses termos...

Mas como boa educação e gentileza nunca é demais... eu continuo falando!

Beijooo
*Anna*

Ana Téjo disse...

*Anna*, querida,
Você é uma dama. E isso está cada vez mais raro hoje em dia. Deve ser por isso que às vezes se sente tão estranha.

Anônimo disse...

Põe logo a cadeira bem no meio mesmo do caminho, que logo as pessoas aprendem outro caminho. Bom, funciona com formigas.
Bjs. Rosana.

Anônimo disse...

kkkkkkkkk
Menina, eu com raiva...sai da frente!!!rsrsrs

beijos

Mary

Anônimo disse...

Uma placa com DANGER.....
Quem sabe !!!
Fran

Ana Téjo disse...

Rosana,
Boa, essa das formigas. Vou tentar. Ou eu resolvo meu problema, ou vou parar na varanda.

Mary,
Eu também!

Ana Téjo disse...

Fran,
Algo doce e meigo como: cuidado, cão bravo!
Vou tentar também. Depois eu conto o que deu certo.