quinta-feira, 21 de junho de 2007

Esquisitices

Quem não tem uma mania esquisita? Esquisita para os outros, naturalmente. Porque para o dono, a mania sempre faz todo o sentido do mundo.

Eu tenho rinite desde pequena. Depois de mil tratamentos, rezas e simpatias, convivemos pacificamente, ela no domínio do meu nariz e eu, controlando o resto do corpo. Com o passar dos anos, fui percebendo o que agravava os sintomas e aprendi a evitá-los. Só tem uma coisa que não tem jeito: documentários sobre insetos.

Basta eu ver um minuto de documentário sobre qualquer inseto (daqueles, onde o bicho aparece em big close up, te encarando do lado de lá da TV, sabe?), para o meu nariz começar a coçar. E não coça pouquinho, não. Coça pra burro, fica vermelho, começa a escorrer, a inchar e se eu não mudar de canal ou sair da sala, começo a espirrar sem parar.

O auge do problema é quando aparecem os ovos e as larvas. Irk! Sou capaz de precisar de um anti-histamínico, de tanta coceira.

Já me perguntaram se cheguei a tratar disso em terapia. Não lembro, acho que não. Havia tantas outras questões tão mais necessitadas de tratamento, que deixei essa pra lá. Até porque, se eu sei que saindo da sala “fico boa”, pra que gastar preciosas horas de terapia, não é? Mas sei que em algum ponto dos seus estudos, Freud, ou Lacan, ou Jung, ou algum outro bacana tem uma teoria perfeita e centenas de estudos duplo-cegos, randomizados, cruzados, testados por dezenas de anos a respeito do assunto.

Mas vai piorar: meu problema é contagioso! Sim, porque depois que comecei a sentir isso, minha irmã também passou a ter a mesma coisa. E antes que alguém diga que deve ser algum fungo lá em casa, informo que minha irmã mora em outro estado. Minha filha também está com os mesmos sintomas e a coisa vai se alastrando. Um dia, quem sabe, a gente aprende a engarrafar isso e domina o mundo. Não que seja mania, nem que seja esquisita, mas só por precaução, lá em casa Animal Planet é bloqueado.

27 comentários:

Bia disse...

Hummm... contagioso, é? E pela internet, pega?

Ana Téjo disse...

Bia,
Hmmmm... sei não. Que tal essa noite você assistir a um documentário sobre insetos, daqueles bem BBC e amanhã você volta aqui e conta pra gente? Mas tem que ter biiiig closes, tá? E larvas e ovos. Afff! Só de pensar já estou me coçando.

Renata disse...

Olha, não chega a me dar ataque de rinite não. Mas que é mega nojento, é. Também tenho muita aflição dessas coisinhas asquerosas.

Tem post novo lá naquele blog empoeirado...

Bjos.

Fernanda disse...

rsrs... Eu tenho um problema semelhante, basta eu escuta um barulho de mosquito ou ver na TV pessoas sendo incomodadas por mosquitos, que ja começo a me coçar, como se tivesse sido toda picada por eles...

Pra rinite eu encontrei um excelente remédio, sem efeitos colaterais: Rilan 4%, duas espirradas (não gotejar) dentro de cada narina, em minutos a rinite passa... Eu sofria demais no inverno, hoje em dia sempre tenho um tubo... bjs

Gastón disse...

Será? Humm... vou ver animal planet e depois te digo se meu nariz coçou.

MH disse...

Conviver com a rinite é uma chatice... além do nariz coçando e dos espirros, meus olhos coçam, incham, lacrimejam... uma graça.

Agora, até onde eu tenha observado, insetos não me afetam assim não. Mas cada um com as suas esquisitices (que eu tenho várias!).

Anna disse...

Ui, eu tb sofro com a rinite...
exatamente como a MH descreveu,
Esses insetinhos aí não me incomodam por simplesmente ver... mas aranhas... argh!!!
Quando aparecem closes de aranhas na tv, com aquelas patinhas se movendo em câmera lenta... uuuuiiii!!! eu posso sentí-las se movendo sobre a minha pele.
Tenho pânico de aranha! Quando aparece imagem de aranha na tv toda a família já sabe que ou eu vou ter um chilique, ou eu vou fechar rapidamente os olhos e ficar perguntando: "já passou?"

Agora...
Vc acha que é esquisita??? Então olha isso:
Eu sou capaz de perceber que tem uma aranha próxima de mim mesmo sem vê-la, de tanto medo que eu tenho delas. E isso já é fato comprovado até pelo marido que ficou bestificado tentando saber como eu percebi que tinha uma aranha na parede atrás de mim sem nem mexer a cabeça!
A única explicação que eu tenho é que eu sinto que há alguém olhando para mim, e pode ter certeza, que sempre que isso acontece é uma aranha que está me encarando!!!
Ah, e tem mais uma...
Eu só consigo matar a aranha se eu enxergá-la antes de ela me enxergar, caso contrário tudo que eu consigo fazer é pedir socorro a alguém!
Como eu sei que ela me enxergou antes? Bem... essa já é uma pergunta muito difícil de ser respondida... eu sei e pronto!

Beijo
*Anna*

Ana Téjo disse...

Rê,
Oba! Há quanto tempo. Vou lá ler!

Fernanda,
Isso que você me parece um caso típico de coceira solidária.
Remédios de rinite, já usei todos. Ou quase. Vou experimentar esse.

Ana Téjo disse...

Gastón,
Fico esperando seu feed.

MH,
Alguém que respeito muito dizia que se você achar que uma pessoa é normal, é porque não olhou direito.

Ana Téjo disse...

*Anna*,
Perfeitamente lógico. Faz todo sentido. Quando a gente que vê a bicha, é uma coisa, quando é a aranha que nos vê é outra, totalmente diferente. E não se fala mais nisso.
Já eu, não tenho medo de nada que possa ser morta com uma pisadela. Baratas, formigas, aranhas não me metem medo. Já pombos e ratos...

Nana disse...

Eita! E desenho animado de insetos, tipo Bugs e Formiguinhaz, também te dá coceira?
Eu não tenho nada contra documentários de insetos, não. Acho até legal. Mas tenho ataque de pelanca quando uma barata ou mariposa daquelas grandes entra na minha casa. E não mato com chinelada de jeito nenhum, só com MUITO spray! Morrem afogados, os coitados.

greice disse...

Ana, depois de ler isso vou até me dar alta da terapia... devo ser normal! Eu começo a espirrar se vejo cena de poeira, ou pior:guerra de travesseiros na TV! que ótimo que eu sou normal!
bjs!

Ana Téjo disse...

Nana,
Não. Desenhos não me dão coceira. Só filmes mesmo.
Só me explica, por favor: o que é "ataque de pelancas"? Morri de rir.

Greice,
Meniiiina, já te falei mil vezes: ninguém é normal. Eu, pelo menos, garanto que não sou. Ainda bem, né?

Nana disse...

Chilique, faniquito, ataque, síncope, fricote... Ataque de pelanca, ué!

angela disse...

menina, q q é isso, tô achando q a gente é prima mesmo, pq eu tb tenho esse mesmo ataque de coceira de olhar os bichos,aff, e qdo é pessoalmente!! se vejo umas formigas correndo pela parede,já começo a me coçar...iso qdo são poucas,mas qdo são muitas,saio correndo e grito pro patrão vir me socorrer!! e viva o antialérgico!!bjo

Mary disse...

Adoro animal planet...vejo e reparo detalhes...
Mas pra não parecer "forte", tenho pavor de aranha e cobra...só de ver assim eu me arrepio, apesar de eu ter uma (aranha jovem)aqui em casa...
Ela fica no potinho direitinho e todo dia faço uma visita (levando uma baratinha pra ela...pra ver se ela ataca e tal)...estou analisando seu comportamento...
Ela é bem jovem mesmo...quase não assusta...só fico de olho para o potinho nao cair de onde está e a tampa abrir...rs.
Mas no mais...consigo conviver com o resto sem qualquer manifestação...

beijos

cristina disse...

Ana, que sintonia de pensamento!!!
Eu sempre parametrizei a minha fobia em relação aos bichos em função da possibilidade de matá-los ou não com uma pisadela... é por isso que as baratas não me assustam, embora eu fique furiosa quando elas escapam e se enfiam em algum canto inacessível da casa.
Agora, nem tente imaginar o que aconteceu quando apareceram três (TRÊS! 3!!!!) largartixas alpinistas - uma de cada vez - aqui no meu apartamento no 11º andar... foi quase o massacre da serra elétrica. Quase tive que me mudar.
Beijos!
Cris.

Juliana Mattoni disse...

Ana,
Também tenho rinite e amei a sua definição "do ela toma conta do meu nariz e eu do resto do meu corpo". Tenho exatamente a mesma coisa com insetos e também tenho uma amiga que tem a mesma coisa.
E foi horrível quando há muito tempo atrás fomos ver "A Múmia" no cinema com todas as pragas do deserto numa tela gigante... Quase tivemos que tomar Fenergan na veia.

Ana Téjo disse...

Nana,
Adorei. Posso adotar?

Angela,
Tá vendo? O bom da internet é isso: a gente conta as coisas, divide o peso, desabafa e ainda arruma uns malucos iguais a gente espalhados pelo mundo! Achei sua mania perfeitamente normal.

Ana Téjo disse...

Mary,
Uma "aranha jovem"? Num "potinho"?? E "Todo dia de manhã você leva UMA BARATINHA pra ela"???
Xisus, apaga a luz!
Ó, e nem precisa me contar como você faz para arrumar todo dia "uma baratinha" pra alimentar seu bichinho tá? "Mãe, por favor não joga o lixo fora que eu preciso arrumar mais baratinhas pra alimentar a Dorotéia!"

Cris,
Uma família inteira de lagartixas se mudou para a sua casa?! Ó, Pai, que tensão! E você conseguiu arrancar o rabinho de alguma delas? Uma vez, viajando, tive uma experiência surreal com uma lagartixa voadora. A doida simplesmente saltou da parede e pulou em mim. Fiquei alguns minutos agonizantes tentando me livrar da danada e ela lá, agarradona, crente que tinha garantido a comida do ano todo. Afff!

Ana Téjo disse...

Juliana,
Tá vendo? É contagioso, eu disse! Já é quase uma epidemia!
Ainda bem que eu "pulei" a Múmia no cinema. Agora, com essa informação sua, não corro o risco nem de alugar.

Mary disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk
Pois eh...mas as baratinhas eu pego na faculdade. Tem um estoque la...rs.Mas na verdade, tem uma baratinha lá desde quinta...e ela ainda nem atacou tudo...rs.
Muito fofa, neh???
Agora nao gostei do nome que vc deu...rs.

beijos

Nana disse...

Pode... desde que você vá lá no meu blogue e comente de vez em quando!

Ana Téjo disse...

Mary,
É que eu achei que Dorotéia era um bom nome para uma aranhazinha jovem e esbelta, que ainda nem acabou de comer a fofa da baratinha que você colocou lá desde quinta-feira.
Mas o bichinho é seu, batize domo quiser e diga que a "Titia Ana Téjo" mandou lembranças. DE LONGE.

Nana,
Juro!

Mary disse...

Ok.Pode deixar Ana.

J@de disse...

Coceiras são mesmo contagiosas... eu não tenho rinite, mas também fico com coceiras desse tipo, elencadas por pressão psicológica...
E também nunca lembrei de falar disso em terapia...
Eu heim!!
Beijos!!

Ana Téjo disse...

Jade,
Bloqueio! A gente deve bloquear o assunto em terapia para que ninguém ouse tentar nos curar, né?