quarta-feira, 20 de junho de 2007

O plastiquinho

Coisas novas são assim: vêm com aquele plastiquinho de proteção. Controle remoto tem plastiquinho, aparelho de som tem plastiquinho, telefone celular tem plastiquinho. Coincidentemente, nesse fim de semana, eu comprei um celular novo. Comprei, não. Ganhei da operadora boazinha, que resolveu me dar um aparelho novo de presente só porque eu sou legal.

Pois bem. Cá estou eu, ainda hesitando com os novos botões e funções do meu celular novinho. Diante da missão hercúlea de passar toooooda a lista de contatos do aparelho velho para o outro, vou deixando ele aqui, na mesa.

Não foi de propósito, não foi de caso pensado, mas o fato é que no meio do turbilhão alucinado que é minha semana, eu não tirei os plastiquinhos. Ficaram lá, os três, um na tela de fora, um na tela de dentro e um sobre os botões.

Aí, ontem à tarde, recebi uma visita aqui, na minha mesa. Ele chegou pra conversar, mas como adora uma novidade – ainda mais na aérea de eletroeletrônicos – logo viu meu novo celular.

_ Ûia, Ana! Que legal! Posso ver?
_ Pode. É novo. Ganhei da operadora boazinha.

De repente ele parou e me encarou, lívido, com os olhos ligeiramente arregalados.

_ Ana... o que é isso?
_ Isso o quê?
_ Isso aqui, do lado de fora.
_ Ah, o plastiquinho...

Ele começou a tremer ligeiramente.

_ O plastiquinho? Você não tirou o plastiquinho?
_ Não. Esqueci. Por quê?
_ Ana, como é que você pode esquecer de tirar o plastiquinho?
_ Esquecendo, ué. O que é que tem?
_ Ana, me diz... _ ele continuava meio alterado, boca seca, gaguejando. _ ... quando você compra um carro, você também deixa o plástico nos bancos?
_ Ihhh, faz tanto tempo que eu não compro carro, que nem lembro. Mas acho que não deixo, não. Porque aí não é um plastiquinho. É um plasticão, né? E plasticão esquenta, incomoda quando a gente senta...
_ Ana, por favor, posso tirar o plastiquinho?
_ Pra quê, Gastón?
_ Ana, pelamordedeus! Deixa eu tirar o plastiquinho!

_ Calma! Tá todo mundo olhando. Controle-se!

Quando vi que a relevância da remoção do plastiquinho era fundamental para a manutenção do equilíbrio mental dele, resolvi me aproveitar.

_ Quer saber? Não!
_ Ana, por favor, vai? Só um. Você escolhe qual...
_ E o que é que eu ganho com isso?
_ Além da minha gratidão eterna?
_ É, ué! Gratidão não paga contas.
_ Um post no meu blog?
_ Ah, um post... é... pode ser. Mas então tira esse aqui, ó. O menorzinho.
_ Tá bom! _ Schlept! _ Pronto _ Ele me olhou aliviado, quase normal. _ Deus lhe pague, Ana.
_ Amém, maluco.

Imagina quando trocar de geladeira... Aff! Cada amigo que eu arrumo, viu?

Para conhecer a versão do Gastón desta mesma história, clique aqui, ó!


26 comentários:

Gastón disse...

O que? Quatro plastiquinhos no mesmo celular?

Me fala, onde vc comprou que eu quero um igual.

Fabi disse...

Gente os semelhantes se atraem. Vcs dois são doidos!

Uma consegue ficar horas com um aparelho, mexer nele e não tirar os malditos plásticos de proteção.
O outro quase tem uma crise de ansiedade pra arrancar os plásticos.

Mas adoro as loucuras de vcs.

MH disse...

Essa "firma" só tem doido... a que ignora o plastiquinho, o maníaco que quer arrancá-lo...
Normalmente eu tiro. Menos o do iPod. Esse ficou mais de um ano. É que comprei uma capinha de silicone, pus por cima, e nem se notava que o plastiquinho continuava lá. Ah, e ainda veio um plastiquinho extra com o iPod. Alguém pode me explicar por que então a gente deveria tirar ele dali???

Cláudia disse...

Gastón
na Italia vende um salvaschiermo para aqueles celulares que lêem email e mandam as crianças pro colégio sabe?
Essa película que vc adora tirar... pacotinho com um monte, olha que delícia!
Ana, deixa de ser murrinha (como diria o meu pai) e larga o celular na mão do Gasta pra ele arrancar tudo quanto é plastiquinho.

beijo

Nanda B. disse...

Agora entendi seu ponto! Excelente moeda de troca. AMEI o blog... parabéns.

Anna disse...

Se ele tirou um plastiquinho e ainda restam 3...
Isso quer dizer que vc ainda tem direito à 3 pedidos!!!
Só a sua operadora muuuuito boazinha mesmo para fazer isso, dar um celular que é melhor do que a lâmpada mágica...
4 plastiquinhos = 4 pedidos para o Gastón (ou outros tantos maníacos por aí)
E o gênio da lâmpada mágica só dá direito a 3 pedidos... coitado, ficou pra trás!

Beijo
*Anna*

Ana Téjo disse...

Gastón,
Você ainda pode arrancar os meus. É só a gente combinar um preço justo.

Fabi,
Se a gente fosse normal, não ia ter a menor graça.

Ana Téjo disse...

MH,
É isso. Sou blasé de plastiquinho. Pronto. Mas bem que você devia me entender. UM ANO com o plastiquinho no iPod? Eu, hein?

Clau,
Posso estar enganada, mas pelo que estou vendo aqui, do meu posto de trabalho, o Gastón está, neste momento, no site da TAM, comprando uma passagem para Milão. Será que ele está babando também? Não. Deve ser impressão minha.
Quanto a deixá-lo arrancar, é claro que eu deixo. É só ele fazer o template novo do Pensatriz.

Ana Téjo disse...

Nanda B.,
Eba! Obrigada.
Cada um joga com os plastiquinhos que tem, não é mesmo?

*Anna*,
Meniiiina, eu não tinha pensado nisso! Que idéia espetacular! Maníacos por plastiquinhos, aguardem-me!

J@de disse...

Eu tiro plástico e sacaneio quem não tira!! Brinco e falo que é coisa de suburbano que compra carro e sofá e não tira!!
hehehehe!!
Vou lá ler a outra versão...
Beijos!!

Renata disse...

Sou solidária ao Gasta.

Ana, deixe ele tirar os plastiquinhos!

De repente ele se anima tanto que faz a cara nova do Pensatriz.

Bjos.

Mary disse...

Ahhh!!!Que legal!!!!rsrsrs
Eu não deixava nao...adoro palstiquinhos...os meus duram muito...
Só tirei do meu celular LG pq o plastiquinho era azul o cel prata. Dai nem combinava...Mas logo deu azar, pq roubaram com menos de um mes..Dai comprei outro e já tem um mes e ele tah la com plastiquinho só no visor (de dentro)...rs
Minha maquina digital que já tem 3 meses tem plastiquinho, meu MP3 ainda tem plastiquinhpo e hj, descobri q meu relogio (de pulso) saiu o plastiquinho...Affff.
Fiquei louca...estava numa reunião muito concentrada qdo olhei para conferir as horas e reparei q estava sem...Dali pra frente não pensava em mais nada...só no plastiquinho q perdi...onde?qdo??como???rs
Nosssaaa!!Manias loucas, neh???
Ah!Fui la no da pessoa "enlouquecida" por tirar plastiquinho e não conseguir comentar...
beijos

Cassio disse...

Já ouviram falar em contact?

O prazer pode ser prolongado.... :)

...

Já sei. O contact não é a mesma coisa. :(

Rodolfo Barreto disse...

Coloquei o seu comentário lá no blog do Gasta.

Rubina disse...

Mulher em controle total. Também deixei o plástico no visor do meu telemóvel mais de um ano! Beijo

urbenauta disse...

Gostei... uma nova tortura... plastiquinhos... no celular!
É um novo fetiche...
(by the way, adorei seu blog)

Ana Téjo disse...

Jade,
Eu devo ser muito suburbana mesmo. Adoro um plastiquinho!

Rê,
As negociações estão avançadas. Vamos torcer.

Ana Téjo disse...

Mary,
O plastiquinho deve dar sorte...

Cassio,
Não é nem de longe a mesma coisa.

Ana Téjo disse...

Rods, seu traficante!
Você aí, gerando tráfego e nós de um lado pro outro, feito petecas. Danadinho, hein?

Rubina,
Meninas Superpoderosas de Plastiquinho.

Ana Téjo disse...

Ubernauta,
Que bom! Apareça.

Bia disse...

Muito bom, Ana. Mas, como você consegue não tirar os plastiquinhos?!?!?!?!?!


Caí aqui sem pára-quedas. Acho que vou ficar...

Adorei.

Ana Téjo disse...

Bia,
É tudo uma questão de canalizar as energias para outras coisas. Acredite: você também pode vencer a tentação dos plastiquinhos!
Seja bem vinda.

vivi disse...

Desde o início do post, eu já imaginava que fosse o Gastón simplesmente pela característica do TOC de tirar os plastiquinhos.

Eu tb tinha esta aflição - assim como estourar papéis-bolha. Mas estou me superando: comprei um ipod e deixei sim o plastiquinho nele. E mais: ainda pus uma capinha de veludo - não brega - no trocinho.
Bendito plastiquinho que assegura a integridade da tela...
Beijos

Ana Téjo disse...

Vivi,

É... o Gastón é meu amigo, mas é evidente que ele está com problemas. Só não vamos ficar comentando aqui, porque a gente não sabe se o TOC dele pega... já pensou?
Ah, e eu tenho um presente pra você:
http://bluestrattos.planetaclix.pt/bubblewrap.swf
Divirta-se, querida.

cristina disse...

Puxa vida,
sabe que quando eu comprei/ganhei o meu último celular (por módicos R$ 10,00 da minha operadora boazinha), fiquei em dúvida sobre se devia ou não remover os plastiquinhos? Eles me incomodavam um pouco, mas também me davam a sensação de que o celular estava protegido... levei mais de um mês para decidir arrancá-los, por achar que era isso o que a sociedade esperava de mim, hehe.
Agora, o meu fetiche mesmo é arrancar plastiquinho de CD... outro dia me mostraram uma geringonça que foi inventada para abrir esse plástico em uma piscada, e eu pergunto: que graça tem? O gostoso mesmo é ficar futucando os cantinhos até conseguir desgrudar uma pelinha e puxar um pedaço do plástico... aí é a redenção... ahhhhhh!
O meu ex-namorado, quando comprava CDs, guardava em casa para eu tirar os plásticos. Romântico, né?
Beijos,
Cris.

Ana Téjo disse...

Cris,
Incrível como a sociedade presiona mesmo a gente, né? Só cá entre nós, desejo informar que já faz mais de uma semana e ainda restam DOIS plastiquinhos no meu celular. O Gastón que não nos ouça!

Seu namorado era, de fato, muito romântico. O meu, me empresta o isqueiro para eu queimar os plastiquinhos dos CDs e eles saírem mais rápido. Adoro. É emocionante.