terça-feira, 15 de maio de 2007

Coisas que só acontecem na mesa ao lado

Casal de meia idade em show moderninho de tango eletrônico. Bem, talvez um pouco mais que meia idade porque eu não conheço ninguém que tenha vivido 140 anos. Ele, andando devagarinho, provavelmente se recuperando de alguma cirurgia no olho – uma catarata ou um glaucoma, talvez –, caminhava com certa dificuldade. Ela, cuidadosa, o conduzia da melhor forma possível por entre o mar de cadeiras.

Sentaram-se, cada qual com seu guaraná, e o show começou.

Ela: _ E então, meu amorzinho, está gostando?
Ele: _ Ah, muito bom, muito bom.
_ E você está conseguindo ver? Está enxergando direitinho?
_ Ah, estou, sim. Muito bem.
_ E do que está gostando mais?
_ Daquela cantora gordinha de vermelho, bem no centro do palco.
_ Não é uma cantora, meu amor.
_ Não?!
_ Não. É um contrabaixo.

16 comentários:

Rodolfo Barreto disse...

E você se pergunta o que fazer quando a gente diz uma besteira dessas?
Bota uma rosa na boca e sai girando, ué.

Ana Téjo disse...

Rods,
Em um show de tango, faria todo sentido.

MH disse...

hahahaha

o baixista devia ser muuuuito bom mesmo!

vivi disse...

Hi hi hi...
Gosto da flexibilidade dos idosos. Um dia, chego lá.
Já sou meio surda; meio caminho andado. Beijos,

Gastón disse...

Que belo traseiro tem aquela gorda não? Pois é, mas o pescoço é comprido e tem um rapaz bulinando ela desde o começo do show. Esses argentinos são mesmo uns promíscuos.

Ana Téjo disse...

MH,
Era ótimo. De longe, o mais animado. Também, com um mulherão daqueles nos braços, né?

Vivi,
Vá seguindo que o tempo se encarrega do resto.

Ana Téjo disse...

Gastón,
Boazuda como os homens gostam. Busto avantajado, quadris bons de pegar e cinturinha de vespa. Ah, e sem cabeça, né? Pra não dar trabalho... Era por isso que o baixista era o mais feliz do conjunto.

Lala disse...

Ai eu quero ser confundida com um Contrabaixo! Acho um instrumento tão sexy!!!!!!


Beijo!!!

Anna disse...

Tadinho do senhorzinho...
Essas limitações que a vida traz para os idosos me faz ter uma dó deles!!! Sorte que grande parte dos idosos que conheço sabem usar do bom humor nesses casos.
Acho que esse é o segredo... Bom humor!!!
Beijo
*Anna*

Ana Téjo disse...

Lala,
Né?

*Anna*,
O que seria de nós sem ele? O bom humor, digo.

Cláudia disse...

Já eu prefiro, na próxima encarnação, ser confundida com uma flauta, daquelas bem magras e compriiiidas.

Ana Téjo disse...

Clau,
Que tal um sax alto? Comprido, fino e bronzeado?

J@de disse...

Minina morri de rir imaginando a cena!! Ainda bem que ele tava enxergando direitinho né?
Mas olha que já teve gente por aí vivendo 120 né?
Beijos!!

Ana Téjo disse...

Jade,
Well, o importante é que ele estava lá, curtindo com a velhinha dele.
Acho longeividade o máximo, desde que haja qualidade de vida. Viver os últimos 20 anos feito uma samambaia de plástico não tem nada a ver, né?

Joana disse...

Demais! :)
Bjinhos

Ana Téjo disse...

Joana,
Obrigada, querida.
Beijos também.