quinta-feira, 31 de maio de 2007

Mal humor empacotado

Acho que já comentei que detesto supermercado. Não é assim, que eu não aprecie muito, que não chegue a me divertir fazendo compras. Não! Meu caso é pior. Eu detesto com todas as minhas forças. Detesto a ponto de ficar com o dia parcialmente estragado quando tenho essa missão a cumprir. E já tentei de tudo: mercados maiores e menores, durante a semana e nos fins de semana, de manhã, de tarde, de noite e até de madrugada. Nada. Recentemente, tentei ouvindo música – as minhas músicas, mas não foi o suficiente.

Em um desses dias inglórios de compras, estava pensando em algumas providências simples podem surtir grande efeito moral no trauma que uma ida ao supermercado causa em pessoas como eu. O empacotador, por exemplo. Essa figura que fica logo ali, depois do caixa, é capaz de reduzir em 40% o estresse na etapa semifinal das compras. Ele fica ali, quietinho, colocando aqueles oitenta ou cem itens em sacos, arrumando tudo no carrinho e depois, com alguma sorte e uma pequena remuneração, essa bondosa criatura acompanha você até o carro E coloca tudo no porta-malas. Nada mais simples nem mais eficaz.

Até porque, quando o empacotador não está lá, sobre pra quem? Pra você, consumidor, que já está com o saco na lua depois daqueles duzentos itens adquiridos ou para o caixa, que faz o serviço numa má vontade dos infernos porque, afinal, aquele não é o trabalho dele.

Para agravar a situação, é comum que nos hipermercados onde donas-de-casa de classe média costumam fazer suas compras na esperança de economizar uns trocados, empacotador seja mais raro que ararinha-azul. Por que será? Porque o empacotador não gera lucro direto para o supermercado, oras! Empacotador é um benefício agregado que, embora faça toda diferença na qualidade da compra, não ajuda o supermercado a ganhar dinheiro. Pelo menos, não diretamente.

Hoje, por exemplo, fui ao supermercado às sete e meia da manhã, na brecha entre deixar um filho e outro na escola. Tinha meia hora para comprar cerca de sessenta itens, muito sono, muito frio e principalmente, muita pressa. Dos cinqüenta caixas, não havia nem meia dúzia em funcionamento. Quando chegou a minha vez – sim, porque, naturalmente, havia fila – pedi à moça para me arrumar um empacotador, por caridade.

_ Eu não sei se tem, senhora, mas vou chamar a supervisora.

Chega a supervisora e diz:

_ O quê? Empacotador a essa hora? Tem, não.
_ Nenhum? _ perguntei, desanimada.
_ Nenhum, senhora. Os “forgado” só chega depois das nove.

Engraçado... “os forgado” chegam depois das nove porque provavelmente esse é o horário do ponto deles. Tenho certeza que se o supermercado quisesse contratar “uns forgado” para chegar às seis, haveria fila de candidatos.

Pior: às oito da manhã não tem empacotador no supermercado porque é muito cedo. Mas tem “agentes de prevenção de perdas” de vistosos coletes vermelhos e walkie-talkies em punho, positivos e operantes. Hoje, pela manhã, vi logo dois desses, conversando bem na frente dos caixas, enquanto a “forgada” que vos escreve empacotava tudo, amaldiçoando céus e terras. Humpf!

21 comentários:

vivi disse...

Ana, vou sugerir algo que venho praticando com sucesso: e comprar pela internet ou telefone? Não vale!?
Beijinhos,

Ana Téjo disse...

Vivi,
Infelizmente, não quando você tem dois filhos, uma babá que come feito uma draga e uma lista de cerca de duzentos itens para comprar a cada quinze dias. Fica antieconômico.

Renata disse...

E se eu te disser que AMO fazer supermercado? AMO, AMO, AMO.
Não sei por quê, mas para mim é uma atividade prazerosa. Já meu marido, senhor Luciano, odeia tanto que quando vai comigo a gente acaba brigando, porque uma hora ele se cansa e simplesmente quer ir embora, quer tenhamos comprado toda a lista, quer não.

Me dá sua lista e a grana que eu vou pra vc com prazer! rs

Bjos.

Ana Téjo disse...

Rê,
Dou, sim.
E pode deixar o sr. Luciano lá em casa, tá?

Re disse...

Aprendi uma coisa: Carrefour bairro, compras acima de 100 reais eles entregam em casa, de graça! Nunca mais me estresso... Dica boa, hein Ana? bjs Re

Greice disse...

Ana, impressionante como eu consigo amar teus posts mesmo discordando da grande maioria deles... uahahaha...
Eu adoro fazer supermercado, principalmente junto com marido, pra ele empurrar o carrinho e pagar a conta no final. E odeio com todas as minhas forças os empacotadores. Eles colocam o pacote de batatas por cima dos abacates maduros e do pão de forma, produtos de geladeira junto com produtos de limpeza... ai, e quando eles perguntam se podem empurrar meu carrinho até o carro tenho vontade de ter um poder de fuziçar o infeliz com o olhar... "Eu empurro meu carrinho, certo, mocinho. Eu, minhas compras, eu empurro, ok???".... rsrsrs... cada louco com as suas manias, ué...

Anna disse...

Eu até não me importo de fazer supermercado... desde que não esteja com muita pressa, nem muito cansada.
Supermercado cansada não dá! Mas não me importo de ir pra supermercado em finais de semana, apesar de que são os dias que eles estão mais cheios... mas pelo menos são os dias que eu tenho algum tempo.
Ah sim, e não gosto de ir ao supermercado com meu marido de jeito nenhum... Apesar da vantagem de ele empurrar o carrinho, ele é muito chato, fica conferindo preço de todas as marcas, não entende que algumas coisa não se escolhe pelo preço, que há algumas marcas que apesar de mais caras valem muito a pena.
Gosto é de ir ao supermercado com a minha mãe... ela é rápida como eu para fazer compras, já sabe o que vai pegar e não fica se enrolando olhando embalagem por embalagem...
Beijo
*Anna*

Ana Téjo disse...

Rê,
Onde eu faço também entrega. Cobra, mas entrega. Só que não às oito da manhã. Os "forgado" da entrega só chega às nove, num sabe?
Mas o problema não é só entregar. O problema também vem antes: no empacotar!
Afff! Que mau humor. Nem eu estou me aguentando.

Greice,
Somos complementares perfeitos, notou?

MH disse...

Faça como a MC. Separe um tempinho pra organizar a lista online, depois é só clicar nos itens desejados e a compra aparece "milagrosamente" na sua casa no dia seguinte. Hoje mesmo, estava quase pronta pra sair, chegaram todos os produtos de limpeza que a faxineira precisava, mais algumas coisitchas básicas (café, pão de forma...). Perfeito e indolor (superada a criação da tal lista online)

Isabella Kantek disse...

Ana,

assim como você, eu também detesto fazer compras. E é bem como você disse, com filhos, temos que comprar uns duzentos itens a cada duas semanas. =/
No meu caso, que moro no segundo andar de um sobrado, ainda tenho que levar as compras escada acima. Haja paciência e energia.

Beijos e um bom final de semana!

Ana Téjo disse...

MH,
Já tentei. Caro demais.

Isabella,
Afff! Põe as crianças para ajudar.

Mary disse...

É ...supermecados é muito estressante mesmo...
beijos

Gastón disse...

Eu adoro fazer supermercado. eu adoro. Eu fico horas passeando, olhando embalagens, checando calorias, descobrindo coisa, pensando no que eu vou "cozinhar". Só não falo que eu sou um partidão porque eu gosto de dar uma paquerada entre uma gôndola e outra.

Ana Téjo disse...

Mary,
Nem me fale.

Gastón,
Ir "a lazer", comprar uma bandejinha de filé, uma garrafa de vinho, um puco de tomate seco e um naco de queijo, eu também gosto, mas DUVIDO que você se divirta comprando amacienta, detergante e vassoura.

mc disse...

Ana,
Comprar online é mais caro, sim, mas é um luxo que as donas-de-casa de classe média tem que se permitir "vez em quando".
eu faço isso pq na minha casa só tem comida congelada, coca light e iogurte!

Rodolfo Barreto disse...

Eu sempre me sinto em um daqueles games de programa da tarde na TV:

"Estamos aqui com o Rodolfo e ele tem comprar o maior número de itens em 25 minutos! Será que ele vai conseguir? O que você aí de casa tá achando? Hein, hein?"

É. Essa é a vida.

Ana Téjo disse...

MC,
Vou tentar mais uma vez. Depois eu conto.

Rods,
Essa sou eu também. Só que sempre num mal humor dos infernos.

Anônimo disse...

Outro dia ainda falando com uma amiga que gosta de supermercado.
Pega o carrinho, põe as compras no carrinho, tira do carrinho, põe no caixa, põe no saquinho, depois de novo no carrinho, leva até o carro, tira do carrinho, põe no porta malas, chega em casa, pega o carrinho, tira do porta malas, põe no carrinho, leva até o apto, tira do carrinho, tira dos saquinho e guarda tudo.
E ainda dizem que tem coisas que o seu cartão master card não pode comprar....
Fran

Ana Téjo disse...

Fran,
Ninguém merece!

Milena disse...

Concordo em gênero, número e grau com cada palavra sua Ana. Sinto aquele "gelinho" na barriga cada vez que me aproximo da porta de um supermercado, já que sei que, inevitavelmente, vou me deparar, no meio das compras, com alguma criança birrenta jogada no chão, alguma velhinha bem lenta, ou alguma pessoa carente querendo puxar papo na fila do açougue. O que me deixa mais irritada ainda é olhar para o meu marido e perceber em seu meio sorriso um bom humor insuportável... Ele ADORA supermercado...

Ana Téjo disse...

Milena,
Nem me fale!
Não dá vontade de jogar os monstrinhos que estrebucham no açougue e o marido feliz na geladeira? Afff!