quarta-feira, 9 de maio de 2007

O ogro e a coletividade – parte 2

E não é que ontem mesmo, saindo com o Montanha, meu filho, para a escola, depois de esperar pacientemente pela chegada do elevador, eis que abro a porta e quem está lá? Quem? Quem? Ele mesmo, o ogro, com o mesmo barrigão, o mesmo cabelo ensebado, o mesmo bigode manchado, as mesmas pontas de dedos amarelos e o mesmo maldito cigarro escondido atrás do corpanzil. Pensando bem, o maldito cigarro devia ser outro, mas era da mesma marca porque fedia igual.

Mal a porta se abriu e eu senti o bafo dos infernos. Como paciência tem limite e o limite da minha está mais estourado que meu cheque especial, não tive dúvidas:

_ O senhor está fumando?
_ Er... sim, senhora.
_ NO ELEVADOR?
_ Er... eu...
_ Vem, Montanha. Vamos no outro, filho _ disse, arrastando o colosso de cinco anos de idade pelo hall.
_ Não, senhora. Pode deixar que eu saio.
_ Sai? Sai para ficar empesteando o MEU hall? Sai para eu ter que me enfiar nesse elevador fedido? Não, obrigada. E fecha essa porta logo pra não piorar o cheiro!

Tomei o outro elevador, ainda pensando em parar na portaria e fazer um escândalo (ou em lacrar a porta para o ogro ficar preso ali dentro, refém do próprio fedor). Depois, pensei em fazer uma carta de desagravo e colar nos elevadores. Finalmente, pensei em interfonar para a síndica e armar um escarcéu sem precedentes. Desisti de tudo. Primeiro, porque o porteiro prefere mil vezes ficar batendo papo com as empregadas alheias a dar atenção a alguém como eu. Depois, porque eu tenho mais o que fazer do que ficar lacrando portas. Além disso, é muito mais divertido escrever para o blog do que para o elevador e ficar sujeita aos palavrões, chicletes mastigados e melecas que os vândalos inevitavelmente grudam em toda e qualquer correspondência afixada em elevadores. Terceiro, porque a síndica do meu prédio é pior que o ogro. Um dia, ainda hei de difamá-la por aqui. Mas que eu lavei a alma, isso eu lavei.

21 comentários:

Isabella Kantek disse...

Que história! Sinto muito. Quando eu era pequena ficamos, eu a minha mãe e um fumante, presos no elevador. Acontece que eu estava no meio de uma crise de bronquite (indo para o médico) e a pessoa fumava. Minha mãe fez a mulher apagar o cigarro na mesma hora e a mulher apagou na mão. (!) Nem preciso dizer que fiquei impressionada.

O seu blog é muito gostoso de ler.

Re disse...

Sou toda ouvidos... adoro a história do ogro! bjs

Ana disse...

Aeeeeeeeee!!! Uhuuuuuu!!!! Parabéns! Isso aí, precisamos falar mais, brigar mais pelos nossos direitos.
Beijos

Gastón disse...

É isso aí Ana, quebra a cara dele. Taca fogo no bigode amarelo. Aperta todos os botões do elevador.

Anna disse...

Êêêêêêê... Muito bem!!!
Clap, clap, clap, clap (aplausos)
Muitos aplausos para vc!
Fez muito bem!!!
Será que ele vai ter coragem de fumar dentro do elevador novamente?

Beijo
*Anna*

vivi disse...

Eca, que nojo! Imagino o pobre Montanha sendo obrigado a inalar a fumaça amarela do pulmão cinza do ogro de bigode ocre.
Que nojo!
E fique sempre à vontade aqui no seu blog para desabafar, viu, Ana! Rs...
Beijos

Cassio disse...

Isto mesmo !!!

Gostei da atitude com o OGRO!

Estamos ansiosos pela difamação da síndica :)

MH disse...

ai que delícia falar tudo isso pro Ogro!!!

E pode desabafar e contar esses causos que aqui vc tem platéia cativa, 100% de apoio e nada de chicletes e melecas de nariz. (Pelo menos até uma visita ousada do Rodolfo...)

Ana Téjo disse...

Isabella,
Na mão??!! Pelamordedeus! Que coisa selvagem!
Que bom que você gosta daqui. Apareça quando quiser. Você é bem vinda.

Rê,
Não que eu queira desapontá-la, mas espero, de coração, não ter mais histórias do ogro para contar.
Aff!

Ana Téjo disse...

Ana,
Agora que eu tomei gosto pela truculência, da próxima vez, apago o cigarro na língua dele. Eca!

Gastón,
Se eu apertar todos os botões, o ogro vai ficar lá forever e o recinto vai ficar fedendo uma semana. Melhor dar só a voadora. Banzai!

Ana Téjo disse...

*Anna*,
Aguarde as cenas dos próximos capítulos. Dava pra escrever um livro falando da fauna e da flora que habitam meu edifício.

Vivi,
Já pensou? Logo o meu Montanha, que lava o cabeção com L'Oreal Kids e passa lavanda Johnson no corpão todo dia, antes de ir pra escola?!
Pódeixar que eu fico suuuper á vontade. Duro deve ser pra vocês, que me aguentam!

Ana Téjo disse...

Cassio,
Ah, é uma bruxa da pior espécie. Aguarde vitupérios mil.

MH,
Agora, o Rodolfo também tem blog. Se ele grudar meleca no meu, eu vou lá, e grudo meleca no dele. Rá!

LED disse...

ierrrchhh.... gross, gross..... :-O
Sou mais partidário de dar uma explícita e demorada borrifada de um L'Occitane no ambiente.

anna O. disse...

palmas, ana, palmas. isso aí. coloca limite no ogro.

Ana Téjo disse...

LED,
Boa! Mais um item indispensável de sobrevivência para a minha já abarrotada e pesadíssima bolsa. Vou incluir agora mesmo.
Será que ele prefere Menta e Bergamota ou Pêra e Melissa?

anna o.,
Esse ogro dos infernos vai ver o que é bom pra tosse (com o perdão do péssimo trocadilho).

Anônimo disse...

Que Saco, hein???!!!
Cara folgado...
Ja falei o q vc deve fazer com ele, neh??rsrsrsr....

beijosssssssss

Mary

Ana Téjo disse...

Mary,
Eu vou fazer. Espera só ele continuar me provocando!

Anônimo disse...

Da proxima vez, eu pegava o extintor de incêndio que habita no corredor do hall, e fazia uma festa no elevador para apagar o cigarrinho dele....
Fran

Ana Téjo disse...

Fran,
Meniiiino, sabe que você me deu uma boa idéia?

Garota do Zippo disse...

No elevador do prédio do meu ex-namorado tinha a seguinte plaquinha: "É proibido fumar e/ou portar cigarro aceso."
Toda vez que pegava aquele elvador saía meio indignada e dando risada. "Será que tem algum babaca que usa esse argumento? 'Não tava fumando Seu Síndico, tava só segurando o cigarro!", eu pensava.
Pelo jeito... tem!

Ana Téjo disse...

Garota de Zippo,
Tem, é um ogro e mora no meu prédio!